O desenvolvimento de competências empreendedoras na administração pública: um estudo com empreendedores corporativos na Prefeitura de Blumenau, Santa Catarina Outros Idiomas

ID:
7134
Resumo:
Esta pesquisa teve como objetivo identificar as competências dos empreendedores corporativos ligados à administração pública. O estudo foi realizado por meio de uma abordagem investigativa com 25 servidores públicos envolvidos no desenvolvimento de projetos inovadores na Prefeitura de Blumenau, em Santa Catarina, cidade que é caracterizada pela excelência em projetos de inovação e pelo desenvolvimento de ações empreendedoras. A pesquisa ressalta que os resultados inovadores têm sua origem em comportamentos manifestos por estes indivíduos a partir do ambiente propício estimulado por um programa de empreendedorismo corporativo. O Programa de Inovação e Melhoria – PIM busca capacitar e desenvolver os servidores públicos para serem empreendedores em suas atividades. Os  resultados apontam as seguintes competências empreendedoras que mais se destacam: (a) comprometimento; (b) busca de informações; (c) persistência; (d) planejamento e monitoramento sistemático; (e) persuasão; e (f) rede de contatos. Assim, pode-se afirmar que, ao se desenvolverem estas competências, os servidores públicos estarão mais preparados para empreender e inovar.
Citação ABNT:
LENZI, F. C.; RAMOS, F.; MACCARI, E. A.; MARTENS, C. D. P. O desenvolvimento de competências empreendedoras na administração pública: um estudo com empreendedores corporativos na Prefeitura de Blumenau, Santa Catarina. Gestão & Regionalidade, v. 28, n. 82, p. 117-130, 2012.
Citação APA:
Lenzi, F. C., Ramos, F., Maccari, E. A., & Martens, C. D. P. (2012). O desenvolvimento de competências empreendedoras na administração pública: um estudo com empreendedores corporativos na Prefeitura de Blumenau, Santa Catarina. Gestão & Regionalidade, 28(82), 117-130.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7134/o-desenvolvimento-de-competencias-empreendedoras-na-administracao-publica--um-estudo-com-empreendedores-corporativos-na-prefeitura-de-blumenau--santa-catarina/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARAÚJO, Eduardo B. de. Entrepreneurship e intrapreneurship: uma trajetória literária de 1979 a 1988. Revista de Administração de Empresas, v. 28, n. 4, p. 67-76, São Paulo, outubro/dezembro, 1988.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

CHAUÍ, Marilena. O retorno do teológico-político. In:

COOLEY, Larry. Entrepreneurship training and the strengthening of entrepreneurial performance. Final Report. Contract n. DAN-5314-C-00-3074-00. Washington: Usaid, 1990.

COOLEY, Larry. Seminário para Fundadores de Empresa. Manual del Capacitador. Washington: MSI, 1991.

COOPER, Donald R. & SCHINDLER, Pamela S. Business reserch methods. Irwin: McGraw-Hill, 1995.

COX, Allan J. O perfil realizador: 100 perguntas e respostas para aguçar seus instintos de executivo empreendedor. Ediouro, Rio de Janeiro, 1994.

DEGEN, Ronald. O empreendedor: fundamentos da iniciativa empreendedora. São Paulo: McGraw-Hill, 1989.

DRAIBE, Sônia Miriam. Estado de bem-estar, desenvolvimento econômico e cidadania: algumas lições da literatura contemporânea. In: HOCHMAN, Gilberto; ARRETCHE, Marta & MARQUES, Eduardo (orgs.). Políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2007. p. 27-64.

DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios. São Paulo: Pioneira, 1986.

DUTRA, Joel Souza. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2004.

DUTRA, Joel Souza. Gestão de pessoas com base em competências. In: DUTRA, Joel Souza (org.). Gestão por competências. Um modelo avançado para o gerenciamento de pessoas. São Paulo: Gente, 2001. p. 25-44.

FARREL, Larry C. Entrepreneuriship: fundamentos das organizações empreendedoras. São Paulo: Atlas, 1993.

FLEURY, Afonso C. C. & FLEURY, Maria Tereza L. Estratégias empresariais e formação de competências. São Paulo: Atlas, 2000.

FLEURY, Maria Tereza L. As pessoas na organização. São Paulo: Gente, 2002.

FREY, Klaus. Governança urbana e participação política. In: XXVIII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO – ENANPAD. Anais... Curitiba: Anpad, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999.

GUGLIANO, Alfredo Alejandro. Democracia, participação e deliberação. Contribuições ao debate sobre possíveis transformações na esfera democrática. Civitas – Revista de Ciências Sociais. Democracia e novas formas de participação política. PUCRS, v. 4, n. 2, p. 257-284, Porto Alegre, julho/dezembro, 2004.

LAWLER III, Edward E. Competencies: a poor foundation for the new pay. Compensation & Benefits Review, v. 28, n. 6, p. 20-26, November/December, 1996.

LE BOTERF, Guy. De la competence: essai sur un attracteur étrange. Paris: Éditions d’Organisation, 1994.

LEITE, Roberto C. De executivo a empresário: como realizar o seu ideal de segurança e independência. Rio de Janeiro: Campus,1998.

LENZI, Fernando César. Os empreendedores corporativos nas empresas de grande porte: um estudo da associação entre tipos psicológicos e competências empreendedoras. 2008. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. São Paulo: FEA/USP.

LENZI, Fernando César; SANTOS, Sílvio Aparecido dos; CASADO, Tânia & RODRIGUES, Leonel César. Talentos inovadores na empresa. Curitiba: Ibpex, 2011.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade pós-moralista. O crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos. Barueri: Manole, 2005.

MASCARENHAS, André Ofenhejm; VASCONCELOS, Flávio Carvalho & VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia. Gestão do paradoxo: discurso versus prática – aprendizagem e informatização da administração de RH. In: VASCONCELOS, Flávio de Carvalho & VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia. Paradoxos organizacionais: uma visão transformacional. São Paulo: Pioneira Thomson, 2004. p. 75-106.

MATTAR, Fauze N. Pesquisa de marketing. Edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

MCCLELLAND, David C. A sociedade competitiva: realização e progresso social. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

MINER, John B. Os quatro caminhos para o sucesso empresarial: como acertar o alvo no mundo dos negócios. São Paulo: Futura, 1998.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. Administradores e políticos. O Estado de S. Paulo, São Paulo, Cad. A2, 23 de agosto de 2008.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. Um Estado para a sociedade civil. Temas éticos e políticos da gestão democrática. São Paulo: Cortez, 2004.

ORSI, Ademar & BOSE, Mônica. Gestão por competência: modelo e abrangência. Revista de Psicologia, Universidade Federal do Ceará, v. 21, n. 1-2, p. 64-79, Fortaleza, janeiro/dezembro, 2003.

PAES DE PAULA, Ana Paula. Por uma nova gestão pública. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

PINCHOT III, Gifford. Intrapreneuring: porque você não precisa deixar a empresa para tornar-se empreendedor. São Paulo: Harbra, 1989.

PINCHOT, Gifford & PELLMAN, Ron. Intraempreendedorismo na prática: um guia de inovação nos negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

SCENNETT, Richard. A cultura do novo capitalismo. São Paulo: Record, 2006

SEIFFERT, Peter Q & SANTOS, Sílvio Aparecido dos. Desenvolvimento de novos negócios em corporações: um modelo aplicado. Revista de Práticas Administrativas, v. 1, n. 1, p. 20-34, Maringá, julho/agosto, 2004.

SEIFFERT, Peter Q. Empreendendo novos negócios em corporações. São Paulo: Atlas, 2005.

SPENCER JR., Lyle M. & SPENCER, Signe M. Competence at work: models for superior performance. New York: John Wiley and Sons, 1993.

VALLE, Rogério. O conhecimento em ação: novas competências para o trabalho no contexto da reestruturação produtiva. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

VIEIRA, Liszt. Os argonautas da cidadania. A sociedade civil na globalização. Rio de Janeiro: Record, 2001.

ZAHRA, Shaker A. Predictors and financial outcomes of corporate entrepreneurship: an exploratory study. Journal of Business Venturing, v. 6, n. 4, p. 259-285, July, 1991.