Estratégia e vantagem competitiva no mercado brasileiro de telecomunicações: um estudo de casos múltiplos para o período de 1999 a 2007 Outros Idiomas

ID:
7406
Periódico:
Resumo:
Este artigo analisa o mercado brasileiro de telecomunicações no período pós-privatização (1999 a 2007), com o objetivo de estabelecer uma comparação entre as razões que levaram ao melhor e ao pior desempenho econômico registrados entre os competidores desse mercado. Público até 1998, o setor registrou crescimento em seus principais índices após a privatização. Esta pesquisa contou com dois procedimentos metodológicos: o estabelecimento de um ranking de rentabilidade das empresas do mercado, baseado no critério de rentabilidade definido por Matarazzo (1997), e um posterior estudo de casos múltiplos, no qual os casos selecionados foram aqueles que apresentaram o melhor e o pior desempenho econômico durante o período de análise. Os resultados sugerem que as principais razões para o desempenho superior foram uma estratégia de redução de custos e a posse de recursos intangíveis, materializados em uma forte cultura organizacional de geração de resultados financeiros. Por outro lado, os motivos que levaram uma empresa ao pior desempenho registrado no período foram estratégias equivocadas relativas ao padrão tecnológico do setor e o investimento em índices de rentabilidade questionável, como a participação de mercado. As empresas que ilustraram as condições de melhor e pior desempenho foram, respectivamente, Telefonica e Vivo.
Citação ABNT:
RIBEIRO, R.; GARCIA, M. M.; CASAS, A. L. L. Estratégia e vantagem competitiva no mercado brasileiro de telecomunicações: um estudo de casos múltiplos para o período de 1999 a 2007. Revista de Gestão, v. 17, n. 3, art. 6, p. 297-312, 2010.
Citação APA:
Ribeiro, R., Garcia, M. M., & Casas, A. L. L. (2010). Estratégia e vantagem competitiva no mercado brasileiro de telecomunicações: um estudo de casos múltiplos para o período de 1999 a 2007. Revista de Gestão, 17(3), 297-312.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7406/estrategia-e-vantagem-competitiva-no-mercado-brasileiro-de-telecomunicacoes--um-estudo-de-casos-multiplos-para-o-periodo-de-1999-a-2007/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGRAWAL, J.; KAMAKURA, W. A. Country of origin: a competitive advantage? International Journal of Research in Marketing, v. 16, n. 4, p. 255-267, 1999.

ANATEL. Números do Setor. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2008.

BALESDENT FILHO, D. Estratégias competitivas pós-privatização para as empresas concessionárias de serviço telefônico fixo comutado (STFC) no Brasil: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Administração) – Departamento de Administração, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

BARNEY, J. Firm Resources and Sustained Advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.

BESANKO, D.; DRANOVE, D.; SHANLEY, M.; SCHAEFER, S. A Economia da Estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

BONOMA, T. V. Case research in marketing: opportunities, problems and process. Journal of Marketing Research, v. 22, n. 2, p. 199-208, May. 1985.

CHAHARBAGHI, K.; LYNCH, R. Sustainable competitive advantage: towards a dynamic resource-based strategy. Management Decision, v. 37, n. 1, p. 45-50, 1999.

COYNE, K. P. Sustainable Competitive Advantage – What It Is, What It Isn’t. Business Horizons, v. 29, n. 1, p. 54-61, 1986.

CRAVENS, D. W.; PIERCY, N. F. Strategic Marketing. 9. ed. New York: McGraw Hill Irwin, 2008.

CUBRELLATE, J. M.; PASCUCCI, L.; GRAVE, P. S. Contribuições para uma Visão Baseada em Recursos Legítimos. Revista de Administração de Empresas, v. 48, n. 4, p. 8-19, 2008.

FLINT, G. D. What is the Meaning of Competitive Advantage? Advances in Competitiveness Research, v. 8, n. 1, p. 121-129, 2000.

GHEMAWAT, P. Competition and Business Strategy in Historical Perspective. Business History Review, v. 76, n. 1, p. 37-74, 2002.

GHEMAWAT, P.; DEL SOL, P. Commitment versus Flexibility? California Management Review, v. 40, n. 4, p. 26-42, 1998.

GHEMAWAT, P. Sustainable Advantage. Harvard Business Review, v. 64, n. 5, p. 53-58, 1986.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

HAMEL, G.; PRAHALAD, C. K. Competindo pelo Futuro: estratégias inovadoras para obter o controle de seu setor e criar os mercados de amanhã. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1995.

HOOLEY, J. G.; SANDERS, J. A.; PIERCY, N. F. Estratégia de Marketing e Posicionamento Competitivo. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2001.

KIM, L.; LIM, Y. Environment, Generic Strategies, and Performance in a Rapidly Developing Country: a Taxonomic Approach. Academy of Management Journal, v. 31, n. 4, p. 802-827, 1988.

MA, H. Anatomy of competitive advantage: a SELECT framework. Management Decision, v. 37, n. 9, p. 709-718, 1999.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa: Planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

MATARAZZO, D. C. Análise Financeira de Balanços: Abordagem Básica e Gerencial. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

OLIVEIRA, D. P. R. Planejamento estratégico: conceitos, metodologias e práticas. 19. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PETERAF, M. A. The Cornerstones of Competitive Advantage: A Resource-based View. Strategic Management Journal, v. 14, n. 3, p. 179-191, 1993.

PINDICK, R. S.; RUBINFELD, D. L. Microeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

PORTER, M. E. A Vantagem Competitiva das Nações. Rio de Janeiro: Campus. 1992.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 7. ed. Rio de janeiro: Campus, 1991.

PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1996.

PORTER, M. E. What is Strategy? Harvard Business Review, v. 74, n. 6, p. 59-78, 1996.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertação e estudos de casos. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, N. M. B. F. Cultura e Desempenho Organizacional: um Estudo Empírico em Empresas Brasileiras do Setor Têxtil. Revista de Administração Contemporânea, v. 2, n. 1, p. 47-66, 1998.

SHARKIE, R. Knowledge creation and its place in the development of sustainable competitive advantage. Journal of Knowledge Management, v. 7, n. 1, p. 20-31, 2003.

TELECO. Banda Larga no Brasil – Dados Anuais. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2008.

TELEFONICA. Demonstrações Financeiras Padronizadas. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2008.

THOMPSON, K. N.; COE, B. J. Gaining sustainable competitive advantage through strategic pricing: selecting a perceived value price. Princing Strategy & Practice, v. 5, n. 2, p. 70-79, 1997.

VIVO. Demonstrações Financeiras Padronizadas. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2008.

WERNERFELT, B. A Resource-based View of the Firm. Strategic Management Journal, v. 5, n. 2, p. 171-180, 1984.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.