Stakeholders relevantes no perfil dos gestores dos pontos de cultura no grande Recife. Outros Idiomas

ID:
7503
Resumo:
Este artigo descreve o perfil dos gestores dos Pontos de Cultura do Grande Recife em suas relações com os seus stakeholders. As organizações que são objeto de estudo são os Pontos de Cultura, que são organizações do terceiro setor. Para compreender os atores que influenciam ou são influenciados pelos gestores dos Pontos de Cultura, será tomada como base a teoria do stakeholder. Esta é uma pesquisa qualitativa. Foram utilizadas entrevistas semiestruturadas para coletar os dados. Foi realizada a análise de conteúdo das falas dos respondentes, utilizando os atributos de poder, legitimidade e urgência como unidades de registro temáticas. Buscou-se identificar a combinação da presença de poder, legitimidade e urgência para classificar a importância dos stakeholders associados a cada tema em latentes, expectantes ou definitivos. Os gestores dos Pontos de Cultura estão atentos às demandas da sociedade. A necessidade de envolvimento comunitário e de gerar impactos sociais faz que estes profissionais sejam uma referência no atendimento das demandas da sociedade. Também foi possível perceber a importância do poder público e dos produtores culturais com conhecimentos administrativos e artísticos, uma vez que eles são classificados como  stakeholders definitivos.
Citação ABNT:
MELO, P. T. N. B.; REGIS, H. P. Stakeholders relevantes no perfil dos gestores dos pontos de cultura no grande Recife.. Revista Organizações em Contexto, v. 8, n. 15, p. 109-136, 2012.
Citação APA:
Melo, P. T. N. B., & Regis, H. P. (2012). Stakeholders relevantes no perfil dos gestores dos pontos de cultura no grande Recife.. Revista Organizações em Contexto, 8(15), 109-136.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7503/stakeholders-relevantes-no-perfil-dos-gestores-dos-pontos-de-cultura-no-grande-recife-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, G. S.; FONTES FILHO, J. R.; MARTINS, H. F. Identificando Stakeholders para Formulação de Estratégias Organizacionais. In: Encontro Anual da ANPAD, 24, 2000. Anais ... ANPAD, 2000.

ASSUMPÇÃO, Joubert. O Papel das Competências Técnico-Organizacionais na Estratégia Organizacional: Evidências de Cinco Organizações Não Governamentais no Rio de Janeiro (1996-2004). In: Encontro Anual da ANPAD, 30, 2006. Anais ... ANPAD, 2006.

AVELAR, Romulo. O Avesso da Cena: Notas Sobre Produção e Gestão Cultural. Belo Horizonte: DUO Editorial, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BOURDIEU, P. O campo científico. In: ORTIZ, R.; FERNANDES, F. Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1994.

CARROLL, A. B. The Pyramid of Corporate Social Responsibility: Toward the Moral Management of Organizational Stakeholders. Business Horizons, v. 34, 1991.

CUNHA, Maria Helena M. da. Gestão Cultural:Profissão em formação. Belo Horizonte: Duo Editorial, 2007.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Situando o Campo. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (orgs.) O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2a. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

DOMINGUES, João L. P.; SOUZA, Victor N. de. Programa Cultura Viva: A Política Cultural como Política Social? Elementos da Análise de Fundos Públicos e do Direito à Produção da Cultura. In: Anais do V ENECULT – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura. Salvador: Faculdade de Comunicação/UFBa, 27 a 29 de maio de 2009.

DONALDSON, Thomas; PRESTON, Lee E. The Stakeholder Theory of The Corporation: Concepts, Evidence, and Implications. Academy of Management Review, v. 20, 1995.

FREEMAN, R. Edward. Strategic Management: A stakeholder approach. Boston: Pitman, 1984.

GIBSON, Chris; KONG, Lily. Cultural Economy: A Critical Review. Progress in Human Geography, v. 29, n. 5, 2005.

GODOI, Christiane K.; MATTOS, Pedro L. C. L. Entrevista qualitativa: instrumento de pesquisa e evento dialógico. In: GODOI, Christiane K.; BANDEIRA-DE-MELLO, Rodrigo; SILVA, Anielson B. (org.). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

JUNQUEIRA, Luciano A. P. Organizações Sem Fins Lucrativos e Redes Sociais na Gestão das Políticas Sociais. In: CAVALCANTI, Marly (org.). Gestão Social, Estratégias e Parcerias: Redescobrindo a Essência da Administração Brasileira de Comunidades Para o Terceiro Setor. São Paulo: Saraiva, 2006.

KIRSCHBAUM, Charles. Renascença da Indústria Brasileira de Filmes: Destinos Entrelaçados? RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 46, n. 3, p. 58-71, 2006.

LAMPEL, Joseph; LANT, Theresa; SHAMSIE, Jamal. Equilíbrio em Cena: O Que Aprender Com as Práticas Organizacionais das Indústrias Culturais. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 49, n. 1, 2009.

MARTELETO, Regina Maria. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da Informação, Brasília. V. 30, n. 1, jan./abr. 2001.

MCVEA, John F.; FREEMAN, R. Edward. A Names-and-Faces Approach to Stakeholder Management: How Focusing on Stakeholders as Individuals Can Bring Ethics and Entrepreneurial Strategy Together. Journal of Management Inquiry, v. 14, n. 1, 2005.

MITCHELL, Ronald K.; AGLE, Bradley R. Stakeholder Identification and Salience: Dialogue and Operationalization. International Association for Business and Society 1997 Proceedings: 365-370, Destin Florida, mar., 1997.

MITCHELL, Ronald K.; AGLE, Bradley R.; WOOD, Donna J. Toward a Theory of Stakeholder Identification and Salience: Defining The Principle of Who and What Really Counts. Academy of Management Review, v. 22, n. 4, p. 853-886, 1997.

MOON, Jeremy; CRANE, Andrew; MATTEN, Dirk. Can Corporations Be Citizens? Corporate Citizenship As a Metaphor For Business Participation in Society. 2a. ed. Research Paper Series, International Centre for Corporate Social Responsibility, n. 13, 2003.

OLIVEIRA, Rezilda R. Responsabilidade Social Corporativa: afinal, quem são os interessados? E & G Economia e Gestão, v. 5, n. 9, 2005.

PORTER, Michael E.; KRAMER, Mark R. Strategy & Society: The Link Between Competitive Advantage and Corporate Social Responsibility. Harvard Business Review, 2006.

POST, James E.; PRESTON, Lee E.; SACHS, Sybille. Redefining the Corporation: Stakeholder Management and Organization Wealth. Stanford University Press: Stanford, 2002.

RIBEIRO, E. M. B. de A. Redes Sociais Interorganizacionais:Uma Análise das Parcerias Mantidas Pelas Organizações Integrantes do Consórcio Social da Juventude. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal da Bahia. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. PPGPSI. Salvador-BA, 2006.

RIGO, Ariádne S.; OLIVEIRA, Rezilda R. Capital Social, Desenvolvimento Local e Stakeholders: o Caso do Projeto Urbe do Sebrae. Cadernos EBAPE.BR, v. 6, n. 2, jun. 2008.

RUBIM, Antonio A. C. Políticas Culturais do Governo Lula/Gil: Desafios e Enfrentamentos. In: RUBIM, Antonio A. C.; BAYARDO, Rubens (orgs.). Políticas Culturais na Ibero-América. Salvador: EDUFBA, 2008.

RUBIM, Antonio A. C.; BAYARDO, Rubens (orgs.). Políticas Culturais na Ibero-América. Salvador: EDUFBA, 2008.

RUBIM, Linda. Produção Cultura. In: RUBIM, Linda (org.). Organização e Produção da Cultura. Salvador: EDUFBA, 2005.

TOWNLEY, Barbara; BEECH, Nic; MCKINLAY, Alan. Managing in The Creative Industries: Managing The Motley Crew. Human Relations, v. 62, n. 7, 2009.

VIEIRA, Marcelo Milano Falcão. Por uma boa pesquisa (qualitativa) em administração. In: VIEIRA, Marcelo Milano Falcão; ZOUAIN, Deborah Moraes. Pesquisa qualitativa em administração. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

VILLAS-BOAS, Rosa. Gestão Cultural. In: RUBIM, Linda (org.). Organização e Produção da Cultura. Salvador: EDUFBA, 2005.

WOOD, Donna J. Corporate Responsibility And Stakeholder Theory: Challenging The Neoclassical Paradigm. In: AGLE, Bradley R.; DONALDSON, Thomas; FREEMAN, R. Edward; JENSEN, Michael C.; MITCHELL, Ronald K.; WOOD, Donna J. Dialogue: Toward Superior Stakeholder Theory. Business Ethics Quarterly, v. 18, n. 2, p. 159-162, 2008.