Processo de implantação dos controles da lei SARBANES-OXLEY: um estudo em empresas com ADRs de Santa Catarina – Brasil Outros Idiomas

ID:
7732
Resumo:
O estudo objetiva analisar o processo de implantação dos controles previstos na Lei Sarbanes-Oxley (SOX), Seção 404, suas implicações e reflexos organizacionais em empresas com American Depositary Receipts (ADRs). Pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa, foi realizada por meio de um estudo em empresas de médio e grande porte de Santa Catarina – Brasil, sendo duas multinacionais e uma de capital nacional. A técnica de análise de conteúdo conforme preceitos propostos por Bardin (1971) foi utilizada para análise das entrevistas com o responsável-chave pela implantação da SOX em cada empresa e com um representante de uma das maiores empresas de auditoria do país. Os resultados destacam as mudanças culturais decorrentes da implantação de legislação americana no Brasil, a adoção da metodologia The Comitee of Sponsoring Organizations (COSO) (Comitê das Organizações Patrocinadoras) na validação interna e externa dos processos, a falta de aderência de funcionários e departamentos ao processo de implantação da Lei, e a relevância da alta administração para determinar o grau de importância dos novos procedimentos na empresa. Conclui-se que o processo de implantação da SOX teve reflexos significativos na cultura organizacional e implicações resultantes do processo de implantação, ressalvada a diferente proporcionalidade de implantação da Lei em cada empresa.
Citação ABNT:
CONTEZINI, J. A.; BEUREN, I. M. Processo de implantação dos controles da lei SARBANES-OXLEY: um estudo em empresas com ADRs de Santa Catarina – Brasil. Innovation and Management Review, v. 9, n. 2, p. 98-122, 2012.
Citação APA:
Contezini, J. A., & Beuren, I. M. (2012). Processo de implantação dos controles da lei SARBANES-OXLEY: um estudo em empresas com ADRs de Santa Catarina – Brasil. Innovation and Management Review, 9(2), 98-122.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/7732/processo-de-implantacao-dos-controles-da-lei-sarbanes-oxley--um-estudo-em-empresas-com-adrs-de-santa-catarina-----brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1971.

Bilhim, J. A. F. Teoria organizacional: estruturas e pessoas. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, 1996.

Carvalho, M. S. M. V.; TONET, H. C. Qualidade na administração pública. Revista de Administração Pública, v. 28, n. 2, p. 137-152, 1994.

Committee Of Sponsoring Organizations Of The Treadway Commission (COSO). Internal control: integrated framework. New York: AICPA, 1992.

Donaldson, W. H. U. S. Capital Markets In The Post-Sarbanes-Oxley World: why our market should matter to foreign issuers? Chairman da SEC. Londres, 2003. Disponível em: . Acesso em: 12 dez.2009.

Fernandes, R. A. Uma análise dos traços culturais brasileiros em uma organização nacional. 2006. 174f. Dissertação. (Mestrado em Administração) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2006.

Henry, J. F. Organizational culture and performance measurement systems. Accounting, Organizations and Society, v. 31, n. 1, p. 77-103, 2006.

Hofstede, G. Culture’s consequences. 2. ed. Beverly Hills: Sage, 2001.

Hofstede, G.; Hofstede G. J. Cultures and organizations software of the mind: intercultural cooperation and its importance for survival. 2. ed. New York:McGraw-Hill, 2005.

Lobo, G. J.; Zhou, J. Did conservatism in financial reporting increase after the Sarbanes-Oxley act? Inicial Evidence. Accouting Horizons, v. 20, n.1, p. 57-73, 2006.

Machado, S. L. Apreendendo com os erros alheios. 2008. Disponível em: Acesso em: 19 jan.2009.

Malhotra, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Tradução de Nivaldo Montingelli Jr. e Alfredo Alves de Farias. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Merriam, S. B. Qualitative research and case study applications in education. 2. ed. San Francisco: C.A: Jossey-Bass, 1998.

Oliveira, E. Crimes de corrupção. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1994.

Peters, M. R. S. Implantando e gerenciando a Lei Sarbanes Oxley: governança corporativa agregando valor aos negócios. São Paulo: Atlas, 2007.

Protiviti Independent Risk Consulting S/D. Guide to the Sarbanes-Oxley Act: internal control reporting requirements - Frequently asked questions regarding Section 404. 4. ed. EUA, 2009, pp 176.

Raupp, F. M.; Beuren, I.M. Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In: BEUREN, I.M. (org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008. pp 76-97.

Robbins, S. Comportamento organizacional. 9. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

Sanvicente, A .Z. The market for ADRs and the quality of the Brazilian stock market. Paper, 2001. Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC). Disponível em: . Acesso em: 07 ago. 2009.

Schein, E. H. Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey Bass, 1997.

Serviço De Apoio Às Micro E Pequenas Empresas (SEBRAE). Critérios e conceitos para classificação de empresas. 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 nov.2009.

Tavares, M. G. P. Cultura organizacional: uma abordagem antropológica da mudança. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1993.

Warner, J. Ethics for sale: in today’s regulatory climate, CEO’s may have choice but to buy. Business Publications, 2004. Disponível em: Acesso em: 19 out. 2009.

Zhang, J.; Pany, K. Current research questions on internal control over financial reporting under Sarbanes-Oxley. The CPA Journal, v. 78, n. 2, 2008.