Indicadores para localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva: identificação e consolidação de suas variáveis Outros Idiomas

ID:
8232
Resumo:
Este artigo trata do estudo de indicadores para localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva, como: arranjos produtivos locais, distritos industriais e clusters. Concentra-se na identificação, definição e categorização de variáveis que compõem indicadores específicos para gerenciamento destas entidades. Indicadores, variáveis e dimensões classificatórias foram identificadas por intermédio da seleção e análise de artigos científicos, teses e dissertações, tanto nacionais quanto internacionais, associadas aos temas pertinentes com localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva. A metodologia de pesquisa utilizada é a exploratória, de natureza qualitativa. Para a análise dos dados obtidos nas pesquisas realizadas, fez-se uso da técnica de análise de conteúdo, aplicada à conceituação e descrição dos diferentes indicadores. O modelo de dados resultante sintetiza e consolida as variáveis encontradas, que podem ser identificadas e acompanhadas no exercício da gestão plena. Identificaram-se cinquenta indicadores de avaliação de localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva, sendo que os mesmos foram decompostos em sessenta e quatro variáveis e agrupados em sete dimensões de análise. Os resultados obtidos sugerem que os indicadores de avaliação de cada uma das dimensões podem auxiliar no processo de tomada de decisão, seja no âmbito dos agentes econômicos envolvidos na gestão das organizações sitiadas em localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva, seja na elaboração de políticas públicas de fomento. Evidencia-se, também, a necessidade de continuidade das pesquisas para a ampliação dos resultados obtidos, além de identificar outras dimensões e operacionalizar novos indicadores. Outra possibilidade futura é o desenvolvimento de software para facilitar o acompanhamento das localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva.
Citação ABNT:
CALHEIROS, D.; SORDI, J. O. Indicadores para localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva: identificação e consolidação de suas variáveis. Revista de Administração da Unimep, v. 10, n. 2, p. 156-178, 2012.
Citação APA:
Calheiros, D., & Sordi, J. O. (2012). Indicadores para localidades com concentração de atividades da cadeia produtiva: identificação e consolidação de suas variáveis. Revista de Administração da Unimep, 10(2), 156-178.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8232/indicadores-para-localidades-com-concentracao-de-atividades-da-cadeia-produtiva--identificacao-e-consolidacao-de-suas-variaveis/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBAGLI, S.; BRITO, J. Arranjos Produtivos Locais: Uma nova estratégia de ação para o SEBRAE – Glossário de Arranjos Produtivos Locais. RedeSist, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2010.

ALTENBURG, T.; MEYER-STAMER, J. How to promote clusters: policy experiences from latin America. World Development, v.27, n.9, p.1693-1713, 1999.

AMARAL FILHO, J. É negócio ser pequeno, mas em grupo: desenvolvimento em debate, painéis do desenvolvimento brasileiro. Rio de Janeiro: BNDES, 2002.

AMATO NETO, J. Gestão de Sistemas Locais de Produção e Inovação (Clusters/ APLs): Um Modelo de Referência. São Paulo: Atlas, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

BELLANDI, M. Innovation and change in the Marshallian Industrial District. European Planning Studies, v.3, n.4, p.357–366, 1996.

BRITO, J.; ALBAGLI, S. Glossário de Arranjos Produtivos e Inovativos Locais. RedeSist, 2003. Disponível em < http://www.ie.ufrj.br/redesist >. Acesso: 18 jun. 2010.

CASSIOLATO, J.E.; LASTRES, H. O foco em arranjos produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H.; MACIEL, M. L.(Org.). Systems of innovation and development: Evidence from Brazil. Cheltenham, RU: Edward Elgar, 2003.

COLEMAN, J. Foundations of Social Theory. Cambridge: Harvard University Press, 1990.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em Administração. 2. ed. São Paulo: Bookman, 2005.

CRESWELL, J. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

FUKUYAMA, F. Confiança: as virtudes sociais e a criação da prosperidade. Rio de Janeiro: Rocco, 1996.

GARCIA, R.C. Vantagens competitivas de empresas em aglomerações industriais: um estudo aplicado à indústria brasileira de calçados e sua inserção nas cadeias produtivas globais. 2001. 182 f. Tese (doutorado em Economia) – Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

GAROFOLI, G. Modelli locali di Sviluppo. Milan: Franco Angeli, 1991.

GIL, A.C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1999.

LAKATOS, E.M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LANGLEY, A. Strategies for Theorizing from Process Data. Academy of Management Review, New York, v. 24, n. 4, p. 691-710, 1999.

LASTRES, H.M.M.; CASSIOLATO, J.E.; MACIEL, M.L. Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

MAGALHÃES, M.T.Q. Metodologia para Desenvolvimento de Sistemas de Indicadores: Uma Aplicação no Planejamento e Gestão da Política Nacional de Transportes. Brasília, 2004. 135f. Dissertação (mestrado em Transportes) Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Brasília, Brasília, 2004.

MARSHALL, A. Principles of Economics: An Introductory Volume. London: Macmillan, 1890.

PINDYCK, R.S.; RUBINFELD, D.L. Microeconomics. 2. ed. New York: MacMillan, 1992.

PORTER, M.E. Competição: Estratégias Competitivas Essenciais. 2 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

PORTER, M.E. The economic performance of regions. Regional Studies, v.37, n.6, p. 549578, 2003.

PUTNAM, R.D. Making Democracy Work: Civic Traditions in Modern Italy. Princeton: Princeton University Press, 1993.

SCHMITZ, H. Local Upgrading in Global Chains. Arranjos e Sistemas Produtivos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico. Estudos temáticos – Nota técnica 6. Rio de Janeiro: IE/UFRJ, 2000.

SCHUMPETER, J.A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SUZIGAN, W; GARCIA, R.; FURTADO, J. Estrutura de governança em arranjos ou sistemas locais de produção. Revista Gestão e Produção, São Carlos, v.14, n.2, p.425-439, 2007.

TIDD, J.; BESSANT, J; PAVITT, K. Gestão da Inovação – Integração das Mudanças Tecnológicas de Mercado e Organizacionais. Lisboa: Monitor, 2003.

WHITAKER, J.K. Alfred Marshall’s Principles and Industry and Trade: two books or one? Marshall and the joint stock company. In: ARIANA, R.; QUERE, M. (Org.). The economics of Alfred Marshall. London: Palgrave Macmillan, p.137-157, 2003.

ZANQUETTO FILHO, H. et al. Tecnologias de gestão e processos produtivos em dinâmica: diagnóstico do APL de rochas ornamentais de Cachoeiro de Itapemirim-ES. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 26., 2006, Fortaleza. Anais... Fortaleza: ENEGEPE, 2006.