Accountability na administração pública: modelos teóricos e abordagens Outros Idiomas

ID:
8380
Resumo:
O objetivo deste trabalho é apresentar e discutir as diferentes abordagens da accountability frente aos diferentes modelos teóricos da administração pública. Trata-se de um estudo de natureza exploratória e analítico-descritiva no qual se buscou não só conhecer o significado da accountability, mas, e principalmente, compreender como e porque a accountability assume determinadas características quando vista à luz dos modelos de administração pública desenvolvidos por Ketll (2000) e por Denhardt e Denhardt (2007): o modelo clássico ou da Administração Pública Tradicional; o modelo da Nova Gestão Pública; e o modelo do Novo Serviço Público. Ademais, e como resultado dessa discussão, mostrar que as concepções desses modelos apresentam sistemáticos deficit de  accountability. Nesse sentido, propõe-se, inicialmente, uma definição para a accountability como forma de desenvolver a discussão dos modelos teóricos considerados e, a seguir, como a accountability é concebida no âmbito de cada um desses modelos. Finalmente, considerando que a prática e o próprio conceito de accountability são questões novas no âmbito da sociedade brasileira, é necessário considerar os novos desafios propostos pelo tamanho e pela crescente complexidade das sociedades modernas aliados às novas visões da administração pública trazidas por esses modelos. Tais desafios exigem novas formas de agir e de pensar a accountability que, além de estabelecerem e reforçarem a confiança pública no desempenho governamental, o façam também, e principalmente, em relação ao serviço público e aos seus servidores.
Citação ABNT:
ROCHA, A. C.Accountability na administração pública: modelos teóricos e abordagens. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 14, n. 2, p. 82-97, 2011.
Citação APA:
Rocha, A. C.(2011). Accountability na administração pública: modelos teóricos e abordagens. Contabilidade, Gestão e Governança, 14(2), 82-97.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8380/accountability-na-administracao-publica--modelos-teoricos-e-abordagens/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abrucio, F. L., Arantes, R. B., & Teixeira, M. A. C. (2005). A imagem dos Tribunais de Contas subnacionais. Revista do Serviço Público,(56)1, 57-84.

Abrucio, F. L. & Loureiro, M. R. (2004). Finanças públicas, democracia e accountability. In: P. R. Arvate & C. Biderman, (Org.). Economia do Setor Pú­ blico no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier/Campus.

Barros, E. F. (2000). Auditoria de Desempenho nos Tribunais de Contas Estaduais Brasileiros: uma pesquisa exploratória. Dissertação (Mestrado) FEA/USP (1999). São Luiz: publicação independente.

Barzelay, M. (2002). Instituições Centrais de Auditoria e Auditoria de Desempenho: Uma análise comparativa das estratégias organizacionais na OCDE. In: O controle externo e a nova administração pública: uma visão comparativa, (1), 25-72. Brasília: TCU.

Behn, R. D. (1998). O novo paradigma da gestão pública e a busca da accountability democrática. Revista do Serviço Público, (49)4, 05-45.

Bobbio, N. (2007). Estado, governo, sociedade; para uma teoria geral da política. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Bovens, M. (2006, janeiro). Analysing and assessing public accountability. A conceptual framework. European Governance Papers - EUROGOV. (C-06-01).

Campos, A. M. (1990). Accountability: Quando poderemos traduzi-la para o português? Revista da Administração Pública, (24)2, 30-50.

Ceneviva, R. (2006). Accountability: novos fatos e novos argumentos – uma revisão da literatura recente. Anais do Encontro de Administração Pública e Governança da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. São Paulo, SP, Brasil, 17.

Centro Latinoamericano de Administración para el Desarrollo CLAD. (2000). La responsabilización en la nueva gestión pública latinoamericana. Buenos Aires: Eudeba.

Dallari, A. A. (2006, setembro). Desvio de poder na anulação de ato administrativo. Revista Eletrônica de Direito do Estado (REDE). (7), 1-14. Recuperado em dez., 2010, de http://www. direitodoestado.com.br.

Dallari, A. A.(2008, dezembro). Formalismo e abuso de poder. Revista Eletrônica de Direito do Estado (REDE). (16), 1-34. Recuperado em dez. 2010, de http://www.direitodoestado.com.br.

DeLeon, L. & Denhardt, R. B. (2000). The political theory of reinvention. Public Administration Review, (60) 89-97.

Denhardt, J. V. & Denhardt, R. B. (2007). The New Public Service: serving, not steering. Expanded edition. Nova York: M. E. Sharp, Inc.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. (2010). Estado, Instituições e Democracia: república. Livro 9, v. 2. Brasília, Disponível em: http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/ livros/2010/Livro_estadoinstituicoes_pdf.

Kenney, C. D. (2005). Horizontal Accountability: Concepts and Conflicts. In: S. Mainwaring & C. Welna, C. (Edit.). Democratic Accountability in Latin America. Oxford Studies in Democratizacion Series. Oxford: Oxford University Press.

Ketll, D. F. (2000). The global public management revolution. Washington: Brookings Institution’s Press.

Mainwaring, S. & Welna, C. (Edit.). (2005). Democratic Accountability in Latin America. Oxford Studies in Democratizacion Series. Oxford: Oxford University Press.

Miguel, L. F. (2005). Impasses da Accountability: Dilemas e Alternativas da Representação Política. Revista de Sociologia e Política, (25), 25-38.

O’Donnell, G. (1988). Accountability horizontal e novas poliarquias. Revista Lua Nova, (44), 27-54.

Pinho, J. A. G. & Sacramento, A. R. S. (2008, novembro). Accountability já podemos traduzi-la para o Português? Anais do Encontro de Administração Pública e Governança da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Salvador, BA, Brasil, 16.

Roberts, N. (2004, dezembro). Public Deliberation in an Age of Direct Citizen Participation. The American Review of Public Administration, (34)4, 315-353.

Rocha, A. C. (2008, setembro). O Processo Orçamentário Brasileiro como Instrumento de Accountability. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. São Paulo, SP, Brasil, 14.

Rocha, A. C. & Quintiere, M. M. R. (2008). Auditoria Governamental. Uma abordagem metodológica da Auditoria de Gestão. Curitiba: Juruá.

Salm, J. F. & Menegasso, M. E. (2009). Os Modelos de Administração Pública como Estratégias Complementares para a Co-Produção do Bem Público. Revista de Ciências da Administração, (11)25, 68-96.

Schedler, A. (1999). Conceptualizing Accountability. In: A. Schedler, L. Diamond, & M. Plattner, (Ed.) Self-Restraining State – Power and Accountability in New Democracies. Boulder: Lynne Rienner Publishers.

Smulovitz, C. & Peruzzoti, E. (2005). Societal and horizontal Controls: Two Cases of a Fruittful Relationship. In: S. Mainwaring & C. Welna, (Ed.). Democratic Accountability in Latin America. Oxford Studies in Democratizacion Series. Oxford: Oxford University Press.