Trade Marketing no setor de lojas de conveniência Outros Idiomas

ID:
8643
Resumo:
O estudo objetiva descrever as motivações para a adoção do trade marketing no setor de lojas de conveniência, bem como suas atribuições e posição na estrutura organizacional. Utilizou-se o estudo de casos múltiplos para investigar as motivações e práticas de quatro redes de lojas de conveniência, além de cinco fabricantes indicados pelas redes pesquisadas. Constatou-se que a existência de uma área formal de trade marketing não é condição suficiente para garantir a colaboração entre os fabricantes e os varejistas de lojas de conveniência. As ações de trade marketing são desenvolvidas e negociadas com o franqueador, todavia sua execução ocorre na instância do franqueado. Trata-se, portanto, de uma relação tripartite (tríade) composta por fabricante, franqueador das lojas de conveniência e seus franqueados.
Citação ABNT:
ALMEIDA, V. M. C.; PENNA, L. S.; SILVA, G. F.; FREITAS, F. D. Trade Marketing no setor de lojas de conveniência. Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 6, p. 643-646, 2012.
Citação APA:
Almeida, V. M. C., Penna, L. S., Silva, G. F., & Freitas, F. D. (2012). Trade Marketing no setor de lojas de conveniência. Revista de Administração de Empresas, 52(6), 643-646.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8643/trade-marketing-no-setor-de-lojas-de-conveniencia/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVAREZ, F. A aplicação das variáveis do trade marketing mix nas empresas de produtos de consumo no Brasil: um estudo da frequência de aplicação. In: ENCONTRO DE MARKETING DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 2, 2006, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD, 2006.

ALVAREZ, F. A aplicação dos conceitos de trade marketing nas empresas de produtos alimentícios de consumo: um estudo exploratório. 1999. Dissertação de Mestrado em Administração de Empresas, Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

ALVAREZ, F. Trade marketing: a conquista do consumidor no ponto de vendas. São Paulo: Saraiva, 2008.

ARBACHE, F; SANTOS A. G; MONTENEGRO, C; SALLES, W. F. Gestão de logística, distribuição e trade marketing. Rio de Janeiro: FGV, 2004. 164 p.

AURIER, P; LANAUZE, G. S. Impacts of in-store manufacturer brand expression on perceived value, relationship quality and attitudinal loyalty. International Journal of Retail & Distribution Management, v. 39, n. 11, p. 810-835, 2011.

BENOUN, M; HÉLIÈS-HASSID, M. Category management, mythes et réalités. Revue Française du Marketing, v. 3/5, n. 198, p. 73-86, 2004.

BJERRE, M. Different forms of key account management. In: BORGEN, S. O. (Ed). NILF-report 2001-2, the food sector in transition – nordic research: proceedings of NJF-seminar n. 313, p. 119-129, 2000.

BONOMA, T. V. Case research in marketing: opportunities, problems, and a process. Journal of Marketing Research, v. 22, n. 2, p. 199-208, 1985.

CAMPOMAR, M. C. Do uso do “estudo de caso” em pesquisas para dissertações e teses em administração. Revista de Administração, v. 26, n. 3, p. 95-97, 1991.

CHINARDET, C. Le Trade Marketing: Marques et Enseignes: Agir Ensemble? Ed. d’Organisation, París, 1994.

CORRÊA, B. S. A. O. Surgimento e evolução de lojas de conveniência no Brasil. 1999. Dissertação de Mestrado em Administração de Empresas, Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

COSTA, G. Trade Marketing: Planificación y Organización, Dirección y Progreso, nº 154, julio-agosto, p. 39-42, 1997.

CRAWFORD, B; GORDON, J. W; MULDER, S. R. How consumer goods companies are coping with complexity. The Mckinsey Quarterly, 2007. Disponível em: https:// www.mckinseyquarterly.com/How_consumer_goods_ companies_are_coping_with_complexity_2004. Acesso em 05.08.2011.

DEWSNAP, B; JOBBER, D. An exploratory study of salesmarketing integrative devices. European Journal of Marketing, v. 43, n. 7/8, p. 985-1007, 2009.

DÍAZ MORALES, A. Gestión por categorías y trade marketing. Madrid: Prentice Hall, 2000. 208 p.

EISENHARDT, K. M. Building theories from case study research. Academy of Management Review, v. 14, n. 4, p. 532-550, 1989.

EISENHARDT, K. M; GRAEBNER, M. E. Theory building from cases: opportunities and challenges. The Academy of Management Journal, v. 50, n. 1, p. 25-32, 2007.

KUMAR, N; RAJIV, S; JEULAND, A. Effectiveness of trade promotions: analyzing the determinants of retail pass through. Marketing Science, v. 20, n. 4, p. 382-404, 2001.

LABAJO, V; CUESTA, P. El Trade marketing: búsqueda de un modelo de colaboración eficiente entre fabricantes y distribuidores. El punto de vista del fabricante. In: ENCUENTRO DE PROFESORES UNIVERSITARIOS DE MARKETING, 16, 2004, Alicante, Espanha. Anais. Alicante, 2004.

LIRIA, E. La revolución comercial: el key account, el trade marketing y el category manager. Madrid: McGraw Hill, 2001. 296 p.

MILLMAN, T; WILSON, K. From key account selling to key account management. Journal of Marketing Practice: applied marketing science, v. 1, n. 1, p. 9-21, 1995.

MOTTA, R. G; SANTOS, N; SERRALVO, F. Trade marketing: teoria e prática para gerenciar os canais de distribuição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

PATTON, M. Q. Qualitative evaluation and research methods. 2nd ed. London: Sage Publications, Inc, 1990. 532 p.

RANDALL, G. Trade marketing strategies: the partnership between manufacturers, brands and retailers. 2nd ed. Oxford: Butterworth-Heinemann, 1994. 183 p.

RICA, A. B. La gestión de la distribución comercial en España: un enfoque profesional. Distribución y Consumo, v. XX, n. 112, p. 62-75, 2010.

SANTESMASES, M. M. Marketing: conceptos y estrategias. 4. ed. Madrid: Pirámide, 2008. 1117 p.

SERRALVO, F. A; JOÃO, B. N; CARDOSO, O. O. The importance of trade marketing on management relations in the consumer goods industry. International Journal of Business Research, v. 11, n. 6, p. 148-152, 2011.

SHANKAR, V; INMAN, J. J; MANTRALA, M; KELLEY, E; RIZLEY, R. Innovations in shopper marketing: current insights and future research issues. Journal of Retailing, v. 87, n. 1, p. 29-42, 2011.

SILVA NETO, N. B; MACEDO-SOARES, T. D. L. A; PITASSI, C. Adequação estratégica das áreas de trade marketing das empresas de bens de consumo atuando no Brasil. Revista Administração MADE, v. 15, n.1, p. 1-22, 2011.

SINDICOM. Anuário 2007. Disponível em: http://www. sindicom.com.br/pub_sind/media/anuario_sindicom_2006-site.pdf. Acesso em 05.08.2011.

SINDICOM. Anuário 2011. Disponível em: http://www. sindicom.com.br/pub_sind/media/anuario_2011_lancamento_v3.pdf. Acesso em 05.08.2011.

SPONTON, A. C. A relação fornecedor-cliente: as boas alianças do trade marketing. In: COBRA, M; TALARICO, P. (Orgs). Trade marketing: conceitos & aplicação. São Paulo: CENPRO/FGV, p. 60-75, 2008.

TOLEDO, L. A; SHIRAISHI, G. F; POLO, E; ALVAREZ, F. J. S. M; CAMPOMAR, M. C. Trade marketing mix: um estudo no âmbito das empresas de produtos de consumo no Brasil. In: X SEMINÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, São Paulo, p.1-16, 2007.

WALTERS, D; WHITE, D. Retail marketing management. London: Macmillan Press, 1987. 290 p.

YIN, R. K. Estudo de casos: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZOLOTAR, B. Trade marketing para o canal supermercadista. 2005. Monografia do Curso de Especialização MBA em Gestão de Negócios, Ibmec Business School, Rio de Janeiro, 2005.