Práticas de Gestão de Custos e Perspectivas Estratégicas: um estudo na indústria da construção do Estado do Paraná Outros Idiomas

ID:
8695
Resumo:
O objetivo deste trabalho foi investigar as práticas de gestão de custos nas empresas da indústria da construção civil paranaense que seguem a tipologia de estratégias de Porter. A amostra é composta por empresas membros da Associação das Indústrias de Construção do Estado do Paraná (Sinduscon-PR) atuando no segmento de edifícios residenciais. Os dados foram coletados por meio de questionários enviados para 317 empresas associadas ao Sinduscon. Retornaram 69 questionários, dos quais 54 foram utilizados na pesquisa. A análise fatorial exploratória dos dados possibilitou identificar dois grupos de práticas de gestão de custos. As análises sugerem igualdade entre as práticas adotadas de gestão de custos e de Planejamento e Controle de Custos (PCC) entre as empresas do grupo 1, independentemente da estratégia genérica adotada. Entre as empresas do grupo 2, aquelas que adotam a estratégia de diferenciação, os resultados sugerem que elas atribuem maior uso da prática de gestão de custos ACR. Os achados diferem daqueles obtidos por Chenhall, no qual as empresas que adotam estratégias de baixo custo tendem a utilizar controles gerenciais focados no controle de custos e rígidos controles orçamentários.
Citação ABNT:
ALMEIDA, L. B.; MACHADO, E. A.; PANHOCA, L. Práticas de Gestão de Custos e Perspectivas Estratégicas: um estudo na indústria da construção do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 14, n. 44, p. 353-368, 2012.
Citação APA:
Almeida, L. B., Machado, E. A., & Panhoca, L. (2012). Práticas de Gestão de Custos e Perspectivas Estratégicas: um estudo na indústria da construção do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 14(44), 353-368.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8695/praticas-de-gestao-de-custos-e-perspectivas-estrategicas--um-estudo-na-industria-da-construcao-do-estado-do-parana/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANSOFF, H. I. A nova estratégia empresarial. São Paulo: Atlas. 1990.

BERTERO, C. O.; BINDER, M. P.; VASCONCELOS, F. C. Estratégia empresarial: a produção científica brasileira entre 1991 e 2002. In: BERTERO, C. O.; CALDAS, M. P.; WOOD JR., T. Produção científica em administração no Brasil: o estado da arte. São Paulo: Atlas, 2005. p. 48-63.

BOVESPA. Classificação setorial. 2008. Disponível em: . Acesso em: 4 abr. 2008.

BOWMAN, C. The essence of strategic management. London: Prentice Hall, 1990.

CHENHALL, R. H. Management control systems design within its organizational context: findings from contingency-based research and directions for the future. Accounting, Organizations and Society, Oxford, v. 28, n. 2-3, p. 127-168, Feb./Apr. 2003.

CHENHALL, R. H.; LANGFIELD-SMITH, K. The relationship between strategic priorities, management techniques and management accounting: an empirical investigation using a systems approach. Accounting Organizations and Society, Oxford, v. 23, n. 3, p. 243-264, Apr. 1998.

DENT, J. F. Strategy, organization and control: some possibilities for accounting research. Accounting Organization Society, Oxford, v.15, n. 1/2, p. 3-25, 1990.

FONSECA JR., A. Paredes de concreto no cenário atual da construção civil. In: CONCRETE SHOW: SEMINÁRIO O SISTEMA PAREDE DE CONCRETO NA CONSTRUÇÁO HABITACIONAL BRASILEIRA, 3., 2009, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: ABCP, 2009. Disponível em:
FUNDAÇÁO GETÚLIO VARGAS - FGV Projetos. O crédito imobiliário no Brasil: caracterização e desafios. 2007. Disponível em: . Acesso em: 2 jul.2007.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAMBRICK, D. C. High profit strategies in mature capital goods industries: acontingency approach. Academy of Management Journal, New York, v. 26, n. 4, p. 687-707, 1983.

HANSEN, D. R.; MOWEN, M. M. Gestão de custos: contabilidade e controle. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.

HOSKISSON, R. E. et al. Theory and research in strategic management: swings of a pendulum. Journal of Management, Thousand Oaks, v. 25, n. 3, p. 417-456, 1999.

IPEA. Carta de conjuntura. 2010, n. 10, jun. 2010 Disponível em: . Acesso em: 27 set.2010.

IPEA. Ipeadata, sinopse macroeconômica. 2010. Disponível em:
JOHNSON, R. A.; WICHERN, D. W. Applied multivariate statistical analysis. 3rd ed. New Jersey: Prentice Hall, 1992.

MALHOTRA, N. Pesquisa em marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MAROCO, J. Análise estatística: com utilização do SPSS. 3. ed. Lisboa: Silabo, 2007.

MILES, R. E.; SNOW, C. C. Organizational strategy, structure, and process. New York: McGraw-Hill Book Company, 1978.

MONTGOMERY, C. A.; PORTER, M. E. (Org). Estratégia: a busca da vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

MURRAY, A. I. A contingency view of Porter's 'generic strategies'. Academy of Management Review, Berkeley, v. 13, n. 3, p. 390-400, July. 1988.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

PRATES, D. M.; FARHI, M. A crise financeira internacional, grau de investimento e a taxa de câmbio real. Textos para discussão - IE/Unicamp, Campinas-SP, n. 164, jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 27 set.2010.

ROBINSON JR., R. B.; PEARCE II, J. A. Planned patterns of strategic behavior and their relationship to business-unit performance. Strategic Management Journal, Chichester, v. 9, n. 1, p. 43-60, Jan./Feb. 1988.

SHANK, J. K; GOVINDARAJAN, V. A revolução dos custos: como reinventar e redefinir sua estratégia de custos para vencer em mercados crescentemente competitivos. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

SIMMONDS, K. Strategic management accounting. Management Accounting, United Kingdom, v. 59, n. 4, p. 26-29, Apr. 1981.

WHITE, R. E. Generic Business Strategies, Organizational Context and Performance: an Empirical Investigation. Strategic Management Journal, Chichester, v. 7, n. 3, p. 217-231, 1986.