Os muitos olhares sobre o conceito de Hotel Boutique Outros Idiomas

ID:
8930
Resumo:
O mercado hoteleiro investe com regularidade na renovação de seus empreendimentos. Neste momento de melhoria de suas instalações se apresenta uma oportunidade de reposicionamento mercadológico. O presente artigo apresenta uma pesquisa de caráter exploratório, que teve como objetivo geral verificar como o conceito de hotel boutique é entendido por pesquisadores de diferentes países. Em função da maior agilidade para a implantação de inovações, considerou-se a possibilidade do modelo de hotel boutique ser adotado por hotéis independentes como forma de melhorar sua competitividade em relação às grandes redes hoteleiras. Verificou-se que não existe um modelo único de hotel boutique, embora instalações de pequeno porte com design diferenciado e atendimento personalizado sejam uma constante nas descrições em que também é enfatizado o valor da experiência única.
Citação ABNT:
ANGELI, A. C. B.; TORRES, R. G.; MARANHÃO, R. F. A. Os muitos olhares sobre o conceito de Hotel Boutique. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 6, n. 3, p. 305-321, 2012.
Citação APA:
Angeli, A. C. B., Torres, R. G., & Maranhão, R. F. A. (2012). Os muitos olhares sobre o conceito de Hotel Boutique. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 6(3), 305-321.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8930/os-muitos-olhares-sobre-o-conceito-de-hotel-boutique/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Aggett, M. (2007). What has influenced growth in the UK’s boutique hotel sector? International Journal of Contemporary Hospitality Management, 19(2), 169-177.

Anhar, L. (2001, December 13). The definition of boutique hotels. Hospitality Net. Recuperado em 12 de outubro de 2012, de http://www.hospitalitynet.org/news/4010409.html.

Asensio, F. (2004). Cool hotels America. New York: Ed. TeNeues.

Campos, J. R. V. (2005). Introdução ao universo da hospitalidade. Campinas: Papirus.

Cândido, I., & Vieira, E. V. (2003). Gestão de Hotéis: técnicas, operações e serviços. Caxias do Sul: EDUCS.

Castelli, G. (2001). Administração Hoteleira. Caxias do Sul: EDUCS.

Chon, K. S., & Sparrowe, R. T. (2003). Hospitalidade: conceitos e aplicações. São Paulo: Pioneira Thonson Learning.

Christersdotter, M. (2005). Transformers: Hip Hotels and the Cultural Economics of Aura-production. In O. Lofgren, & R. Willim (Eds.). Magic, culture and the new economy (pp. 73-86). Oxford: Berg Publishers.

Dias, C. M. M. (1990). Home Away from Home. Evolução, caracterização e perspectiva da hotelaria: Um estudo compreensivo (Dissertação de Mestrado). Universidade de São Paulo – Escola de Comunicação e Artes, São Paulo.

Duarte, V. V. (1996). Administração de Sistemas Hoteleiros: conceitos básicos. São Paulo: Editora SENAC.

Gilmore, J. H., & Pine II, B. J. (2002, June). Differentiating hospitality operation via experiences: why selling services is not enough. Cornell Hotel and Restaurant Administration Quarterly, 43(3), 87-96.

Hassanien, A., & Baum, T. (2002). Hotel innovation through property renovation. International Journal of Hospitality & Tourism Administration, 3(4), 5-24.

Horner, S., & Swarbrooke, J. (2005). Leisure Marketing: a global perspective. Oxford: Elsevier.

Knutson, B. J., Beck, J. A., Kim, S., & Cha, J. (2009, February). Identifying the dimensions of the guest’s hotel experience. Cornell Hotel and Restaurant Administration Quarterly, 50(1), 44-50.

Lea, K. (2002). Boutique hotel: fad or phenomenon? Locum Destination Review. 7, 34-39.

Lim, W. M., & Endean, M. (2009). Elucidating the aesthetic and operational characteristics of UK boutique hotels. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 21(1), 38-51.

Luz, M. C. V. (1999). Panorama Setorial da Gazeta Mercantil. Análise Setorial: A Indústria Hoteleira. São Paulo: Gazeta Mercantil.

Mcintosh, A. J., & Siggs, A. (2005). An exploration of the experiential nature of boutique accommodation. Journal of Travel Research, 44(1), 74–81.

Minguet, J. M. (2005). Hotel Design. Barcelona: Monsa.

Oliveira, D. P. R. (1999). Empresa Familiar: como fortalecer o empreendimento e otimizar o processo sucessório. São Paulo: Atlas.

Powers, T., & Barrows, C. W. (2004). Administração no setor de hospitalidade: turismo, hotelaria, restaurante. São Paulo: Atlas.

Prahalad, C.K., & Ramaswamy, V. (2004). O futuro da competição: como desenvolver diferenciais inovadores em parceria com os clientes. Rio de Janeiro: Elsevier.

Proserpio, R. (2007). O avanço das redes hoteleiras internacionais no Brasil. São Paulo: Aleph.

Rabontu, C. I., & Niculescu, G. (2009). Boutique hotels: new appearances in hotel industry in Romenia. Annals of the University of Petrosani, Economics, 9(2), 209-214.

Ritchie, J. R. B., Tung, V. W. S., & Ritchie, R. J. B. (2010). Tourism experience management research: emergence, evolution and future directions. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 23(4), 419-438.

Rogerson, J. M. (2010). The boutique hotel industry in South Africa: definition, scope, and organization. Urban Forum, 21(4), 425–439.

Russell, J. (2008, March 25). Boutique & lifestyle hotels. USA Today. Recuperado em 11 de dezembro de 2011, de http://www.usatoday.com/travel/hotels/.

Swarbrooke, J., & Horner, S. (2002). O comportamento do consumidor no turismo. São Paulo: Aleph.

Teo, P., & Chang, T. C. (2009). Singapore’s postcolonial landscape: boutique hotels as agents. In T. Winter, P. Teo, & T. C. Chang (Eds.), Asia on tour: exploring the rise of Asian tourism (pp. 81–96).

Tuch, D. L., & Spolon, A. P. G. (2004). Planejamento hoteleiro. In M.G.R. Ansarah. Turismo. Como aprender, como ensinar Vol.2 (pp. 353-374). São Paulo: Editora SENAC.

Vallen, G. K., & Vallen, J. J. (2003). Check-in, check-out: gestão e prestação de serviços em hotelaria. Porto Alegre: Bookman.

Wheeler, D. F. (2006). Understanding the value of Boutique Hotels (Dissertação de Mestrado). Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, MA.