Gastronomia na tela: as representações da comida no cinema Outros Idiomas

ID:
8938
Resumo:
A história da gastronomia se funde com a própria história do homem pois, a comida está presente em sua vida desde o seu nascimento até sua morte.  Representada na pintura, na escultura, na fotografia, a comida tem despertado também o interesse da sétima arte que, se não é capaz de sensibilizar o nosso paladar através da imagem, aguça o nosso apetite e nosso desejo. Com uma produção crescente nas últimas três décadas, os filmes gastronômicos tem  abordado a comida ou como metáfora, ou como metonímia, assim como as relações e emoções do ato de cozinhar, com representações de chefes de cozinha, de pratos cuidadosamente elaborados, de técnicas de cozinha, de defesa do patrimônio gastronômico e, até, das patologias relacionadas. Através de uma metodologia de pesquisa documental de fontes não escrita foi feita uma análise dos filmes gastronômicos procurando as suas principais características relacionadas com a gastronomia. Destarte, os chamados filmes gastronômicos ou food films abrem um novo campo de interesse para estudos e pesquisas.
Citação ABNT:
YASOSHIMA, J. R.Gastronomia na tela: as representações da comida no cinema. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, v. 4, n. 3, p. 300-316, 2012.
Citação APA:
Yasoshima, J. R.(2012). Gastronomia na tela: as representações da comida no cinema. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, 4(3), 300-316.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/8938/gastronomia-na-tela--as-representacoes-da-comida-no-cinema/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BALTHROPE, R. Food as representative of Ethnicity and Culture in George Tilman Jr.’s Soul Food, Maria Ripoll’s Tortilla Soup, and Tim Reid’s Once upon a Time , When We Where Colored. in BOWER, A. L. (ed.) Reel Food: essays on food and film. New York: Routledge, 2004.

BRILLAT-SAVARIN, J. A fisiologia do gosto. São Paulo: Companhia das Letras, 1995

CHENILLE, V. Le plaisir gastronomique au cinema. Paris: Jean-Paul Rocher, Éditeur, 2004.

FISCHLER, C. L’Omnivore. Paris: Odile Jacob, 2001.

KELLER, J. R. Food, film and Culture. London: Mac Farland & Company, Inc., 2006.

NOGUEIRA, L. Gêneros Cinematográficos. Covilhã: Livros LabCom, 2010.

REVEL, Jean François. Un festin de parole: histoire littéraire de la sensibilité gastronomique de l’antiquité à nos jours, Paris: Société Nouvelle des Éditions Jean-Jacques Pauvert, 1979.

ROSENFELD, A. Cinema: Arte & Indústria. São Paulo: Perspectiva, 2009.