A educação superior em administração no Brasil e a questão da emancipação: um túnel no fim da luz? Outros Idiomas

ID:
896
Resumo:
Partindo do pressuposto de que se verifica a mercantilização da educação no nível superior, neste ensaio tem-se como objetivo apontar os limites da concepção e estruturação do atual ensino superior brasileiro em Administração e discutir as possibilidades de outra formação, mais profunda e menos instrumental, baseada na educação crítica. Para tanto, a abordagem utilizada neste texto: a) apresenta e discute o quadro atual da educação superior em Administração, tratando especialmente das incoerências da legislação e dos currículos, bem como de seus desdobramentos diretos e indiretos; b) analisa os principais impasses da perspectiva tecnicista da educação superior em Administração; e c) confronta o quadro atual e os impasses com relação ao mercado de trabalho a partir da perspectiva da educação crítica. As principais conclusões apontam no sentido de politizar a concepção e as práticas do ensino superior de Administração, aproximando-a da educação crítica e do seu compromisso com a emancipação humana.
Citação ABNT:
SARAIVA, L. A. S.A educação superior em administração no Brasil e a questão da emancipação: um túnel no fim da luz?. Revista Gestão & Planejamento, v. 12, n. 1, art. 3, p. 41-60, 2011.
Citação APA:
Saraiva, L. A. S.(2011). A educação superior em administração no Brasil e a questão da emancipação: um túnel no fim da luz?. Revista Gestão & Planejamento, 12(1), 41-60.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/896/a-educacao-superior-em-administracao-no-brasil-e-a-questao-da-emancipacao--um-tunel-no-fim-da-luz-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ADORNO, T. W. Educação e emancipação. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

AKTOUF, O. Ensino de administração: por uma pedagogia para a mudança. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 12, n. 35, p. 151-159, out./dez. 2005.

AKTOUF, O. Pós-globalização, administração e racionalidade econômica: a síndrome do Avestruz. São Paulo: Atlas, 2004.

BOURDIEU, P. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BOURDIEU, P. Razões práticas. 6. ed. Campinas: Papirus, 2005.

BRANDÃO, C. R. O que é método Paulo Freire? São Paulo: Nova Cultural/Brasiliense, 1985.

BRASIL Ministério da Educação. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2005. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, bacharelado, e dá outras providências. Brasília, Diário Oficial da União, ed. 137, seção 1, p. 26-27, 19 jul. 2005.

CLARK, P. The commercialization of university research and economic productivity. Higher Education Management and Policy, Paris, v. 19, n. 1, p. 133-144, 2007.

COSTA, M. A Educação em tempos de conservadorismo. In: GENTILI, P. (Org.). Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

ENGWALL, L. Universities, the State and the market: changing patterns of university governance in Sweden and beyond. Higher Education Management and Policy, Paris, v. 19, n. 3, p. 87-104, 2007.

ENRIQUEZ, E. O indivíduo preso na armadilha da estrutura estratégica. In: PRESTES MOTTA, F. C.; FREITAS, M. E. (Org.). Vida psíquica e organização. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

FARIA, J. H.; MENEGHETTI, F. K. Razão tradicional e razão crítica: os percursos da razão no ensino e pesquisa em administração na concepção da teoria crítica. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXIX, 2005, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, 2005.

FESTINALLI, R. C. A formação de mestres em administração: por onde caminhamos? Organizações & Sociedade, Salvador, v. 12, n. 35, p. 135-150, out./dez. 2005.

FISCHER, T. M. D. A difusão do conhecimento sobre organizações e gestão no Brasil: seis propostas de ensino para o decênio 2000/2010. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 5, edição especial, p. 121 139, 2001.

FISCHER, T.; WAIANDT, C.; SILVA, M. R. Estudos organizacionais e estudos curriculares: trajetórias simétricas e convergências inevitáveis. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, IV, 2006, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ANPAD, 2006.

FORRESTER, V. Uma estranha ditadura. São Paulo: UNESP, 2001.

FREIRE, P. Educação e mudança. 23. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

GENTILI, P. Adeus à escola pública: a desordem neoliberal, a violência do mercado e o destino da educação das maiorias. In: Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Anísio Teixeira. Evolução da Educação Superior: Graduação (1980-1998). Brasília: INEP, 1999. Disponível em: Acesso em 22 jul. 2011. 1999.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Anísio Teixeira. Resumo técnico: senso da educação superior 2009. Brasília: INEP, 2010.

KUMAR, S.; DASH, M. K. Management education in India: trends, issues and implications. Research Journal of International Studies, n. 18, p. 16-26, Jan. 2011.

MCLAREN, P. Multiculturalismo crítico. 3. ed. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2000.

MCNAY, I. Values, principles and integrity: academic and professional standards in UK higher education. Higher Education Management and Policy, v. 19, n. 3, p. 43-66, 2007.

MISOCZKY, M. C. A.; ANDRADE, J. A. Uma crítica à crítica domesticada nos estudos organizacionais. Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. 1, p. 193-212, jan./mar. 2005.

NICOLINI, A. Qual será o futuro das fábricas de administradores? Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 2, p. 44-54, abr./jun. 2003.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The knowledge creating company. New York: Oxford University Press, 1997.

PAES DE PAULA, A. P.; RODRIGUES, M. A. Por uma pedagogia crítica em administração: desafios e possibilidades. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXX, 2006, Salvador. Anais... Salvador: ANPAD, 2006.

PAES DE PAULA, A. P.; WOOD JR, T. Pop-management: contos de paixão, lucro e poder. Organizações & Sociedade, v. 9, n. 24, p. 39-51, maio/ago. 2002.

PAIVA, K. C. M.; SARAIVA, L. A. S. Estresse ocupacional de docentes do ensino superior. Revista de Administração, v. 40, n. 2, p. 145-158, abr./jun. 2005.

PRESTES MOTTA, F. C. As empresas e a transmissão de ideologia. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 32, n. 5, p. 38-47, nov./dez. 1992.

PRESTES MOTTA, F. C. Organizações: vínculo e imagem. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 5-11, jul./set. 1991.

RAINBIRD, H. El Trabajador por cuenta propia: ¿Pequeño empresario o asalariado encubierto? In: POLLERT, A. (Coord.). ¿Adiós a la Flexibilidad? Madri: MTSS, 1994.

SARAIVA, L. A. S.; BAUER, M. C. L.; PAIVA, K. C. M. Desafios no universo das organizações de educação superior. Gestão & Planejamento, Salvador, v. 10, n. 2, p. 1-13, jul./dez. 2009.

SARAIVA, L. A. S.; IRIGARAY, H. A. R. Notas sobre a mercantilização do substantivo. Gestão & Planejamento, Salvador, v. 11, n. 1, p. 79-90, jan./jun. 2010.

SCHULTZ, T. W. Human resources (Human capital: policy issues and research opportunities). New York: National Bureau of Economic Research, 1972.

SCHULTZ, T. W. The economic value of education. New York: Columbia University Press, 1963.

ŠKUDIENĖ, V. Quality of undergraduate management studies in a changing university environment. The Quality of Higher Education, Vilnius, n. 2, p. 166-173, 2005.

SOUZA-SILVA, J. C.; DAVEL, E. Concepções, práticas e desafios na formação do professor: examinando o caso do ensino superior de administração no Brasil. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 12, n. 35, p. 113 134, out./dez. 2005.

SPENCER, J.; BLANCHARD, K. H. O gerente minuto. 25. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 1990.

TREJOS, M. E. Calidad total, control y trabajo. Revista Latino-Americana de Estudos do Trabalho, São Paulo, n. 6, p. 167-178, 1997.

VILELA, R. A. T. Para uma sociologia crítica da educação em Adorno e Horkheimer: apontamentos. In: MAFRA, L. A.; TURA, M. L. R. (Org.). Sociologia para educadores 2: o debate sociológico da educação no Século XX e as perspectivas atuais. Rio de Janeiro: Quartet, 2005.

WARAH, Ä. The manager as coach. Optimum, Ottawa, v. 29, n. 2/3, p. 43-47, June 1999.

WENYAO, F.; WATSON, D. (Ed.). National policy on higher education management – collected works of Sino-UK joint programme. London: British Council, 2008.

ZARIFIAN, P. Trabalho e comunicação nas indústrias automatizadas. Tempo Social, São Paulo, v. 3, n. 1/2, p. 119-130, 1991.

ZUIN, A. A. S.; PUCCI, B.; RAMOS-DE-OLIVEIRA, N. Adorno: o poder educativo do pensamento crítico. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.