Formulação de um plano estratégico em instituições do terceiro setor: o caso de uma ONG de pequeno porte Outros Idiomas

ID:
9037
Periódico:
Resumo:
O artigo apresenta uma proposta de modelo de planejamento estratégico em organizações sociais. Na busca desse objetivo utilizou-se o estudo de caso como enfoque metodológico. Foi adotado o estudo de caso, pois se limitou à investigação de um mesmo fenômeno, em um determinado período de tempo. Para tanto, selecionou-se como objeto de estudo, uma organização não governamental, instituição sem fins lucrativos, localizada no interior do estado de São Paulo. Foi limitado à análise de caso único sendo recomendável, portanto, que para confirmar o modelo proposto, a pesquisa seja estendida, futuramente, para outros tipos de organizações. O modelo permitiu agrupar, em regime de trabalho colaborativo, organizações sociais de uma mesma região geográfica de atuação. A concepção do constructo abrangeu a implementação de um regime de parceria na forma de um pool de organizações não governamentais para criação de uma central de serviços de tecnologia de gestão. Isso permitiu o compartilhamento de serviços operacionais comuns e a obtenção de economia de escala na adoção de tecnologias de gestão em organizações sociais congêneres. Como resultado adicional, advindo do modelo implantado, destaca-se a descentralização funcional, e desconcentração física, das atividades da ONG em sua região geográfica de atuação. Isso induziu o desenvolvimento local sustentável gerando como benefícios, a experimentação não lucrativa, de novos modos sócio-produtivos e de sistemas alternativos de produção para a geração de empregos, na forma de arranjos produtivos locais sustentáveis.
Citação ABNT:
TACHIZAWA, T.; POZO, H.; ALVES, J. A. F. Formulação de um plano estratégico em instituições do terceiro setor: o caso de uma ONG de pequeno porte. Reuna, v. 17, n. 3, p. 53-72, 2012.
Citação APA:
Tachizawa, T., Pozo, H., & Alves, J. A. F. (2012). Formulação de um plano estratégico em instituições do terceiro setor: o caso de uma ONG de pequeno porte. Reuna, 17(3), 53-72.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9037/formulacao-de-um-plano-estrategico-em-instituicoes-do-terceiro-setor--o-caso-de-uma-ong-de-pequeno-porte/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS: ABONG: Panorama das Associadas. São Paulo: ABONG, 2010. Disponível em: . Acesso em: 17.11.2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS: Uma rede de serviços de um mundo mais justo, solidário e sustentável. Disponível em: . Acesso em: 12.09.2011.

BIOTA – FATESP. Programa de Pesquisas em caracterização, conservação, uso, sustentabilidade da biodiversidade do Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.biota.org>. Acesso em 06.03.2011.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente, CONAMA. Resolução nº 237, de 19 de dezembro de 1997, publicada no D.O.U. em 22 de dezembro de 1997. Disponível em: http:/www./mma.gov.br>. Acesso em: 07.06.2011.

BRASIL. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano. Disponível em: . Acesso em 21/11/2011.

BRASIL. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Índice de Desenvolvimento Humano. Disponível em: . Acesso em 21/11/2011.

DRUCKER, P. F. Administração de Organizações Sem Fins Lucrativos: Princípios e Práticas. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

GIL, A. C. ESTUDO DE CASO: Fundamentação Científica, Subsídios Para Coleta e Análise de Dados e Como Redigir o Relatório. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1987

HUDSON, M. Administração de organizações do Terceiro Setor. O desafio de administrar sem receita. São Paulo: Makron Books. 1999.

IBGE. As Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos no Brasil. 2008. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1205&id_pagina=1. Acesso em: 21/11/2011.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Pesquisa Ação Social das Empresas. IPEA. São Paulo, 2007.

ISO International Organization for Standardization. Guidance on Social Responsability: Draft International Standard ISO/DIS 26000. Genebra: ISO/TMB/WG SR N172, 2009. Disponível em: http://www.qsp.org.br/pdf/ISO_DIS_26000.pdf Acesso em: 21/11/2011

KOTLER, P. Administração de marketing: a edição do novo milênio. 9. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

MINTZBERG, H.; QUINN, J. B. O processo da estratégia. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MINTZBERG, H. Safári de Estratégia: Um Roteiro pela Selva. Porto Alegre: Artmed, 2003

NOLAN, R. L. Note on information technology and strategy. Boston: Harvard Business School, 1993.

ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL, ONG Caminho Verde. Estatutos, Normas e procedimentos internos, Campo Limpo Paulista SP, 2001.Disponível em: . Acesso em 05.02.2011.

ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL, ONG Caminho Verde. Organização social que sucedeu a SOS Campo Limpo, Campo Limpo Paulista SP, 2001. Disponível em: . Acesso em 05.02.2010.

ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL, ONG Ecomursa. Várzea Paulista, SP, 2007. Disponível em: . acesso em:05.02.2011.

ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL, ONG Mata Ciliar. Jundiaí, SP, 2007. Disponível em: . Acesso em 05.02.2011.

PORTER, M.E. Strategy and the Internet. Harvard Business Review. New York, 2001.

PORTER, Michael E.; KRAMER, Mark. The competitive advantage of corporate philanthropy. Harvard Business Review. 2002.

PORTER, Michael. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

PRAHALAD, C. K; HAMEL, G. The core competence of the corporation. Harvard Business Review, p.79-91, May-June 1990.

PREFEITURA DE CAMPO LIMPO PAULISTA – Dados do Município e Região. Disponível em http://www.campolimpopaulista.sp.org.br/ , acesso em 06.09.11.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano. Disponível em: . Acesso em 06.03.2011.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) -Ranking do IDH 2011 (Índice de Desenvolvimento Humano). Disponível em< http://www.pnud.org.br/rdh/> Acesso em 17 de Out 2011.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Ranking do IDH 2011 (Índice de Desenvolvimento Humano). Disponível em< http://www.pnud.org.br/rdh/> Acesso em 17 de Out 2011.

REZENDE, D. A. Planejamento de sistemas de informação e informática: guia prático para planejar a tecnologia da informação integrada ao planejamento estratégico das organizações. São Paulo: Atlas, 2003.

SÃO PAULO (Estado). Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Informações dos Municípios Paulistas – IMP. Disponível em: . Acesso em 06.03.2011.

SELLTIZ, C. et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Herder, 1987.

TACHIZAWA, T. Criação de novos negócios: gestão de micro e pequenas empresas. 2. ed., Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

TACHIZAWA, T. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Corporativa. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

TACHIZAWA, T.; MENDES, G. Como Fazer Monografia na Prática. 12. ed. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 2008.

TACHIZAWA, T. Organizações Não Governamentais e Terceiro Setor. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

TACHIZAWA, T. Organizações Não Governamentais e Terceiro Setor. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

TACHIZAWA, T.; POZO. H. Arquitetura de dados socioambientais: referencial sistêmico para desenvolvimento de software aplicado a sustentabilidade empresarial no contexto das mudanças climaticas Globais. Jistem – International Journal on information Systemns and Technology Management. Revista de Gestão da tecnologia e sistemas de informação. v.9, n.1. São Paulo, 2012.

TACHIZAWA, T.; REZENDE, W. Estratégia empresarial: tendências e desafios. São Paulo: Pearson Education Makron Books, 2002.

TENÓRIO, F. G. (org.). Gestão de ONGs: principais funções gerenciais. 11. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

VASCONCELOS F. P.; PAGNONCELLI, D. Construindo estratégias para vencer: um método prático, objetivo e testado para o sucesso da sua empresa. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

YIN, R.K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.