Liderança: o que pensam executivos brasileiros sobre o tema? Outros Idiomas

ID:
9121
Resumo:
Neste trabalho são apresentados resultados de levantamento empírico de dados realizado junto a altos executivos de grandes empresas brasileiras, com o intuito de investigar suas percepções quanto às principais questões e desafios em torno da temática da liderança e seu desenvolvimento, na   contemporaneidade. Considerando tal propósito, seus objetivos específicos podem ser assim descritos: 1. Investigar sentidos atribuídos e estilos de liderança articulados à vivência e prática dos executivos investigados; 2. Investigar temas-chave ao desenvolvimento de lideranças no atual contexto dos negócios e das organizações; 3. Identificar tendências, novos temas e desafios em torno da temática da liderança, no contemporâneo. Como referencial teórico, cabe salientar revisão de literatura envolvendo descrição evolutiva dos estudos sobre a temática, com destaque para suas principais correntes e abordagens teórico-metodológico-conceituais. Em termos metodológicos, a pesquisa que subsidiou os resultados deste estudo pode ser caracterizada como de natureza qualitativa e caráter descritivo, tendo seus dados primários derivados de entrevistas semi-estruturadas e em profundidade realizadas junto a treze altos executivos de grandes corporações, nacionais e internacionais, situadas nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Após tratamento dos dados, com o auxílio do software de tratamento qualitativo NVivo 8, foi possível agrupar os principais temas e desafios identificados em torno da liderança em três temas-chave: Sentidos, Competencias, Estilos e Desafios associados à Liderança no Contemporâneo; Desenvolvimento de Lideranças; Liderança e Contexto Capacitante. O estudo possibilitou, também, identificar os principais atributos de competência e estilos de liderança requeridos como resposta ao atual contexto dos negócios e organizações, segundo a perspectiva dos executivos entrevistados. Concomitantemente, foi possível constatar novos desafios e preocupações em relação à temática da liderança como, por exemplo, o como lidar com as novas gerações - em especial a chamada Geração Y - que, em breve, deverão assumir posições chave nas organizações, em decorrência da aposentadoria dos Baby Boomers. Em suma, os achados permitem, a partir da perspectiva dos próprios atores diretamente envolvidos na problemática da liderança no contexto empresarial, a emergência de questões e desafios a serem contemplados em novas agendas de desenvolvimento e linhas de pesquisa sobre o tema.
Citação ABNT:
SANT'ANNA, A. S.; CAMPOS, M. S.; VAZ, S. L. Liderança: o que pensam executivos brasileiros sobre o tema?. Revista de Administração Mackenzie, v. 13, n. 6, p. 48-76, 2012.
Citação APA:
Sant'anna, A. S., Campos, M. S., & Vaz, S. L. (2012). Liderança: o que pensam executivos brasileiros sobre o tema?. Revista de Administração Mackenzie, 13(6), 48-76.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9121/lideranca--o-que-pensam-executivos-brasileiros-sobre-o-tema-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BADARACO, J.; ELLSWORTH, R. Leadership and quest for integrity. Boston: Harvard Business School Press, 1989.

BASS, B. M.; AVOLIO, B. J. The implications of transactional and transformational leadership for individual, team and organizational development. Research in Organizational Change and Development, v. 4, p. 231-272, 1990.

BASS, B. M. Handbook of leadership: survey of theory and research. New York: The Free Press, 1990.

BENNIS, W.; NANUS, B. Líderes: estratégias para assumir a verdadeira liderança.São Paulo: Harbra, 1985.

BERGAMINI, C. W. Liderança: administração do sentido. São Paulo: Atlas, 1994.

BLAKE, R.; MOUTON, J. The managerial grid. Houston: Gulf Publishing, 1964.

BURNS, J. M. Leadership. New York: Harper & Row, 1978.

BURNS, T.; STALKER, G. M. The management of innovation. London: Tavistock Publications, 1961.

CARLYLE, T. On heroes, hero-worhip and the heroic in history. Berkeley: University of California Press, 1842.

DANSEREAU, F.; GRAEN, G.; HAGA, W. J. A vertical dyad linkage approach to leadership in formal organizations, Organizational Behavior and Human Performance, v. 13, p. 46-78, 1975.

FIEDLER, F. E. A theory of leadership effectiveness. New York: McGraw-Hill, 1967.

FISCHER, T. Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador: Casa da Qualidade, 2002.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GAULEJAC, V. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida: Ideias & Letras, 2007.

GIOIA, D. A.; THOMAS, J. B. Identity, image and issue interpretation: sensemaking during strategic change in academia, Administrative Science Quarterly, v. 41, p. 370-403, 1996.

GITHAY, L.; FISCHER, R. M. Produzindo a flexibilidade: algumas reflexões sobre as aventuras e desventuras da gerência pós-moderna. In: CONGRESSO LATINO AMERICANO DE SOCIOLOGIA DO TRABALHO. Comunicações apresentadas…São Paulo: Alast, 1996.

GRAEFF, C. The situational leadership theory: a critical review. Academy of Management Journal, v. 8, p. 285-291, 1983.

HERSEY, P.; BLANCHARD, K. H. Management of organizational behavior. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1969.

HIGGS, M. How can we make sense of leadership in the 21st century. Leadership &Organization Development Journal, v. 24, Issue 5/6, p. 73, 2003.

HORNER, M. Leadership theory: past, present and future. Team Performance Management, v. 3, n. 4, p. 270-287, 1997.

HOUSE, R. J. A path goal theory of leader effectiveness. Administrative Science Quarterly, v. 16, n. 3, p. 321, set. 1971.

HOUSE, R. J.; MITCHELL, T. R. Path-goal theory of leadership. Contemporary business, n. 3, p. 81-98, 1974.

JUDGE, T. A.; BONO, J. E. Five-factor model of personality and transformational leadership. Journal of Applied Psychology, v. 85, N. 5, p. 751-765, Oct. 2000.

KOUZES, J. M.; POSNER, B. O desafio da liderança. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

LIKERT, R. New patterns of management. New York: McGraw-Hill, 1961.

LUZ, T. R. Telemar-Minas: competências que marcam a diferença. 2001. Tese (Doutorado em Administração)–Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

MCGREGOR, D. Leadership and motivation. Cambridge: MIT Press, 1966.

MILES, M. B.; HUBERMAN, A. M. Qualitative data analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

NANUS, B. Visionary Leadership: creating a compelling sense of direction for your organization. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1992.

NORTHOUSE, P. G. Leadership: theory and practice. Thousand Oaks: Sage, 2004.

PICCOLO, R. F.; COLQUITT, J. A. The effect of transformational leadership on employees job satisfaction and organizational commitment: mediating role of job characteristics. Academy of Management Journal, v. 49, n. 2, p. 327-340, 2006.

ROBBINS, S. P. Comportamento organizacional. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

SCHEIN, E. Organizational culture and leadership. New York: Jossey & Bass, 1992.

SETERS, D. A.; FIELD, R. H. G. Leadership. Journal of Organizational Change Management, v. 3, N. 3, p. 29, 1990.

SMITH, B. N.; MONTAGNO, R. V.; KUZMENKO, T. N. Transformational and servant leadership: Content and contextual comparisons. Journal of Leadership and Organizational Studies, v. 10, n. 4, p. 80-91, 2004.

STOGDILL, R. M. Handbook of leadership. New York: MacMillan, Free Press, 1974.

STOGDILL, R. M. Leadership, membership and organization. Psychological Bulletin, v. 47, p. 1-14, 1950.

VROOM, V. H.; YETTON, P. W. Leadership and decision-making.Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1973.

YAMMARINO, F. J.; DANSEREAU, F.; KENNEDY, C. J. A multiple-level multidimensional approach to leadership:viewing leadership through an elephant’s eye. Organizational Dynamics, v. 29, n. 3, p. 143-163, 2001.