Governança Corporativa: um estudo bibliométrico da produção científica das dissertações e teses brasileiras Outros Idiomas

ID:
9145
Resumo:
O objetivo deste trabalho foi investigar as características da produção científica das dissertações e teses que tratam do tema governança corporativa em programas stricto sensu de administração do Brasil, no período de 1998 a 2009. Trata-se de uma pesquisa documental, descritiva e quantitativa. Foram analisadas 132 dissertações e teses. Os principais resultados encontrados foram: crescimento dos trabalhos a partir de 2002; a predominância dos mestrados acadêmicos; a Universidade de São Paulo, a Fundação Getúlio Vargas-SP e a Universidade Federal do Rio de Janeiro são as Universidades com maior volume de dissertações e teses defendidas, impactando diretamente na região Sudeste; boas práticas de governança corporativa, estrutura de propriedade, estratégia empresarial, desempenho empresarial, fundos de pensão, conselho de administração e empresa familiar, foram os temas abordados nas 132 dissertações e teses com maior destaque; predomínio da abordagem quantitativa nos trabalhos investigados, seguido do método de estudo de caso e das ferramentas de coleta de dados que foram: a pesquisa documental e as entrevistas. Ainda no que tange à abordagem quantitativa, destacaram-se os testes estatísticos: regressão, Mínimos Quadros e Q de Tobin.
Citação ABNT:
RIBEIRO, H. C. M.; MACHADO JUNIOR, C.; SOUZA, M. T. S.; CAMPANÁRIO, M. A.; CORRÊA, R. Governança Corporativa: um estudo bibliométrico da produção científica das dissertações e teses brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 15, n. 3, p. 52-70, 2012.
Citação APA:
Ribeiro, H. C. M., Machado Junior, C., Souza, M. T. S., Campanário, M. A., & Corrêa, R. (2012). Governança Corporativa: um estudo bibliométrico da produção científica das dissertações e teses brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(3), 52-70.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9145/governanca-corporativa--um-estudo-bibliometrico-da-producao-cientifica-das-dissertacoes-e-teses-brasileiras/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGUILERA, R. V. & CUERVO-CAZURRA, A. (2009). Codes of good governance. Corporate Governance, 17(3), 376-387.

ALMEIDA, M. A., SANTOS, J. F. dos, FERREIRA, L. F. V. de M. & TORRES, F. J. V. (2010). Evolução da qualidade das práticas de governança corporativa: um estudo das empresas brasileiras de capital aberto não listadas em bolsa. Revista de Administração Contemporânea, 14(5), 907-924.

ALVARADO, R. U. (2002). A Lei de lotka na bibliometria brasileira. Ciência da Informação, 31(2), 14-20.

ANDRADE, L. P. de, SALAZAR, G. T., CALEGÁRIO, C. L. L. & SILVA, S. S. (2009). Governança corporativa: uma análise da relação do conselho de administração com o valor de mercado e desempenho das empresas brasileiras. Revista de Administração Mackenzie, 10(4), 4-31.

BAKKER, F. G., GROENEWEGEN, P. & DEN HOND, F. (2005). A bibliometric analysis of 30 years of research and theory on corporate social responsibility and corporate social performance. Business &Society, 44(3), 283-317.

BERARDI, P. C. (2008). A evolução do conceito de governança corporativa à luz da ética: uma análise longitudinal. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas), FGV, São Paulo, 149 pg.

BERTUCCI, J. L. de O., SILVA, E. Á., PIMENTEL, T. D. & PEREIRA, R. D. (2009). Mecanismos de governança e processo se sucessão: um estudo sobre a influência dos elementos da governança corporativa na orientação do processo sucessório em uma empresa familiar. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 11(31), 152-167.

BEUREN, I. M. & LONGARAY, A. A. (2003). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

BEUREN, I. M. & SCHLINDWEIN, A. C. & PASQUAL, D. L. (2007). Abordagem da controladoria em trabalhos publicados no Enanpad e no congresso USP de controladoria e contabilidade de 2001 a 2006. Revista Contabilidade & Finanças, 18(45), 22-37.

BEUREN, I. M. & SOUZA, J. C. de. (2008). Em busca de um delineamento de proposta para classificação dos periódicos internacionais de contabilidade para o Qualis Capes. Revista Contabilidade & Finanças, 19(46), 44-58.

BIANCHI, M., SILVA, C. V. da, GELATTI, R. & ROCHA, J. M. L. da. (2009). A evolução e o perfil da governança corporativa no Brasil: um levantamento da produção científica do Enanpad entre 1999 e 2008. Contexto, 9(15), 1-26.

BIGNETTI, L. P. & PAIVA, E. L. (2002). Ora (direis) ouvir estrelas!: estudo das citações de autores de estratégia na produção acadêmica brasileira. Revista de Administração Contemporânea, 6, 105-125.

BOGONI, N. M., ZONATTO, V. C. da S., ISHIKURA, E. R. & FERNANDES, F. C. (2010). Proposta de um modelo de relatório de administração para o setor público baseado no parecer de orientação n. 15/87 da Comissão de Valores Mobiliários: um instrumento de governança corporativa para a administração pública. Revista de Administração Pública, 44(1), 119-142.

BOMFIM, R. T. (2006). A produção acadêmica sobre governança corporativa no Brasil: 20032005. Cadernos do SepADM, 3(2), 51-65.

BROWN, P., BEEKES, W. & VERHOEVEN, P. (2011). Corporate governance, accounting and finance: a review. Accounting & Finance, 51, 96-172.

BUFREM, L. & PRATES, Y. (2005). O saber científico registrado e as práticas de mensuração da informação. Ciência da Informação, 34(2), 9-25.

CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Banco de Teses. Recuperado em 08 fevereiro, 2012, de http://www. capes.gov.br/serviços/banco-de-teses.

CARCELLO, J. V., HERMANSON, D. R. & YE, Z. (2011). Corporate governance research in accounting and auditing: insights, practice implications, and future research directions. Auditing: A Journal of Practice & Theory, 30(3), 1-31.

CARDOSO, R. L., MENDONÇA NETO, O. R. de, RICCIO, E. L. & SAKATA, M. C. G. (2005). Pesquisa científica em contabilidade entre 1990 e 2003. Revista de Administração de Empresas, 45(2), 34-45.

CARVALHO, A. G. D. (2002). Governança corporativa no Brasil em perspectiva. Revista de Administração da USP, 37(3), 19–32.

CATAPAN, A. & CHEROBIM, A. P. M. S. (2010). Estado da arte da governança corporativa: estudo bibliométrico nos anos de 2000 a 2010. RACE, 9(1-2), 207-230.

CLARKE, T. & KLETTNER, A. (2009). Governance issues for SMEs. Journal of Business Systems, Governance and Ethics, 4(4).

COLLIN, S. O. & BENGTSSON, L. (2000). Corporate governance and strategy: a test of the association between governance structures and diversification on Swedish data. Corporate Governance, 8(2).

COUTINHO, E. S., AMARAL, H. F. & BERTUCCI, L. A. (2006). O impacto da estrutura de propriedade no valor de mercado de empresas brasileiras. Revista de Administração da USP, 41(2), 197-207.

CVM – Comissão de Valores Mobiliários (2002). Recomendações da CVM sobre governança corporativa. Rio de Janeiro.

DENIS, D. J., DENIS, D. K. & SARIN, A. (1999). Agency theory and the influence of equity ownership structure on corporate diversification strategies. Strategic Management Journal, 20, 1071-1076.

DUARTE, E., CARDOZO, M. A. & VICENTE, E. F. R. (2012). Governança: uma investigação da produção científica brasileira no período de 2000 a 2009. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(1), 115-127.

EISENHARDT, K. M. (1989). Agency theory: an assessment and review. The Academy of Management Review, 14(1).

FILHO, J. R. & PICOLIN, L. M. (2008). Governança corporativa em empresas estatais: avanços, propostas e limitações. Revista de Administração Pública, 42(6), 1163-1188.

FORESTI, N. A. B. (1990). Contribuição das revistas brasileiras de biblioteconomia e ciência da informação enquanto fonte de referência para a pesquisa. Ciência da Informação, 19(1), 53-71.

FRANCISCO, E. de R. (2011). RAE-eletrônica: exploração do acervo à luz da bibliometria, geoanálise e redes sociais. Revista de Administração de Empresas, 51(3), 280-306.

FREEMAN, R. E. & REED, D. L. (1983). Stockholders and stakeholders: a new perspective on corporate governance. California Management Review, 25(3).

GARCÍA-MECA, E. & SÁNCHES-BALLESTA, J. P. (2009). Corporate governance and earnings management: a meta-analysis. Corporate Governance: An International Review, 17(5), 594-610.

GARCÍA-MECA, E. & SÁNCHES-BALLESTA, J. P. (2010). The association of board independence and ownership concentration with voluntary disclosure: a meta-analysis. European Accounting Review, 19(3), 603-627.

GRÜN, R. (2003). Atores e ações na construção da governança corporativa brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18(52), 139-161.

GRÜN, R. (2005). Convergência das elites e inovações financeiras: a governança corporativa no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 20(58), 67-90.

GUIMARÃES, T. de A., GOMES, A. de O., ODELIUS, C. C., ZANCAN, C. & CORRADI, A. A. (2009). A rede de programas de pós-graduação em administração no Brasil: análise de relações acadêmicas e atributos de programas. Revista de Administração Contemporânea, 13(4), 564-582.

HOLM, C. & SCHOLER, F. (2010). Reduction of asymmetric information through corporate governance mechanisms – the important of ownership dispersion and exposure toward the international capital market. Corporate Governance: An International Review, 18(1), 32-47.

HUANG, C. Y. & HO, Y. S. (2011). Historical research on corporate governance: a bibliometric analysis. African Journal of Business Management, 5(2), 276-284.

JENSEN, M. C. & CHEW, D. H. U.S. (1995). corporate governance: lessons from the 1980s. Harvard Business School.

JENSEN, M. C. & MECKLING, W. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, 3, 1-77.

LEAL, R. P. C., CARVALHAL DA SILVA, A. L. & VALADARES, S. M. (2002). Estrutura de controle das companhias brasileiras de capital aberto. Revista de Administração Contemporânea, 6(1), 07-18.

LEAL, R. P. C. & SAITO, R. (2003). Finanças corporativas no Brasil. RAE Eletrônica, 2(2), 1-15.

LIMA, G. A. S. F. de, BARBOSA, A., MARZAL, J. L. S., LIMA, I. S. & CORRAR, L. J. (2006). El estúdio del anuncio de la adhesión a los niveles diferenciados de gobierno corporativo con la utilización de estudio de evento. Revista Contabilidade & Finanças, 17(spe), 92-104.

MACIAS-CHAPULA, C. A. (1998). O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, 27(2), 134-140.

MARCOLINA, F. (2010). Caracterização e análise das inovações nos cursos de mestrado em administração em universidades da região sul do Brasil. Dissertação (Mestrado em Administração), UCS, Caxias do Sul, 152 pg.

MARQUES, D. S. P. & COSTA, A. L. (2009). Governança em clubes de futebol: um estudo comparativo de três agremiações no estado de São Paulo. Revista de Administração da USP, 44(2), 118-130.

MARQUES, M. da C. da C. (2007). Aplicação dos princípios da governança corporativa ao sector público. Revista de Administração Contemporânea, 11(2), 11-26.

MARTINS, H. C., HILDEBRAND, D. F. N. & ZIVIANI, F. (2008). Governança corporativa: um estudo da produção científica da Anpad no período de 2000 a 2007. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. XXXII EnANPAD. Anais Eletrônicos… Rio de Janeiro: ANPAD, 2008. Recuperado em 06 abril, 2012, de http:// www.anpad.org.br/.

MELLO, C. M. de; CRUBELLATE, J. M. & ROSSONI, L. (2009). Redes de coautorias entre docentes de programas brasileiros de pós-graduação (stricto sensu) em administração: aspectos estruturais e dinâmica de relacionamento. Revista de Administração Mackenzie, 10(5), 130-153.

MELLO, C. M. de; CRUBELLATE, J. M. & ROSSONI, L. (2010). Dinâmica de relacionamento e prováveis respostas estratégicas de programas brasileiros de pós-graduação em administração à avaliação da Capes: proposições institucionais a partir da análise de redes de co-autoria. Revista de Administração Contemporânea, 14(3), 434457.

MENDES-DA-SILVA, W. (2003). Governança corporativa e estratégia: evidências de associações e implicações para o desempenho financeiro de indústrias brasileiras. Dissertação (Mestrado em Administração), UFPE, Recife, 197 pg.

MENDES-DA-SILVA, W., FERRAZ-ANDRADE, J. M., FAMÁ, R. & MALUF FILHO, J. A. (2009). Disclosure via website corporativo: um exame de informações financeiras e de governança no mercado brasileiro. Revista de Administração de Empresas, 49(2), 190-205.

MENDONÇA, L. R. D. & FILHO, C. A. P. M. (2004). Governança nas organizações do terceiro setor: considerações teóricas. Revista de Administração da USP, 39(4), 302-308.

MORETTI, S. L. A. & CAMPANARIO, M. de A. (2009). A produção intelectual brasileira em responsabilidade social empresarial – RSE sob a ótica da bibliometria. Revista de Administração Contemporânea, 13(Edição Especial), 68-86.

MORK, R., SHLEIFER, A. & VISHNY, R. W. (1988). Management ownership and market valuation: an empirical analysis. Journal of Financial Economics, 20(1/2), 293-315.

MURITIBA, S. N., RIBEIRO, H. C. M., MURITIBA, P. M. & DOMINGUES, L. M. (2010). Governança corporativa no Brasil: uma análise bibliométrica das publicações dos últimos doze anos. In: SEMINÁRIO EM ADMINISTRAÇÃO. SEMEAD, 13. Anais Eletrônicos... São Paulo: Semead, 2010. Recuperado em 06 abril, 2012, de http://www.ead.fea.usp.br/ semead/13semead/resultado/trabalhosPDF/887.pdf.

NASCIMENTO, A. M., BIANCHI, M. & TERRA, P. R. S. (2005). A controladoria como um mecanismo interno de governança corporativa: evidência de uma survey comparativa entre empresas de capital brasileiro e norte-americano. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO.

NASCIMENTO, J. P. de B., LEITE FILHO, G. A., SILVA, I. C. da, MORAES, A. F. de O. et al. (2009). Governança corporativa em foco: uma análise na produção científica dos anais e periódicos da Universidade de São Paulo. In: SIMPÓ- SIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA. VI SEGeT. Anais Eletrônicos... Rio de Janeiro: SEGeT, 2009. Recuperado em 06 abril, 2012, de http://www.aedb.br/seget/artigos09/516_516_Bibliometria_SEGET.pdf.

NEWLAND, K. (2010). The governance of inter national migration: mechanisms, processes, and institutions. Global Governance, 16, 331-343.

NORONHA, A. P. P., ANDRADE, R. G. de, MIGUEL, F. K., NASCIMENTO, M. M. et al. (2006). Análise de teses e dissertações em orientação profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 7(2), 1-10.

OKIMURA, R. T., SILVEIRA, A. D. M. de & ROCHA, K. C. (2007). Estrutura de propriedade e desempenho corporativo no Brasil. RAC Eletrônica, 1(1), 119-135.

PERDIGÃO, L. Z., NIYAMA, J. K. & SANTANA, C. M. (2010). Contabilidade, Gestão e Governança: análise de doze anos de publicação (1998 a 2009). Contabilidade, Gestão e Governança, 13(3), 3-16.

PUNSUVO, F. R., KAYO, E. K. & BARROS, L. A. B. de C. (2007). O ativismo dos fundos de pensão e a qualidade da governança corporativa. Revista Contabilidade & Finanças, 18(45), 63-72.

QUONIAM, L., TARAPANOFF, K., ARAÚJO JÚNIOR, R. H. de, & ALVARES, L. (2001). Inteligência obtida pela aplicação de data mining em base de teses francesas sobre o Brasil. Ciência da Informação, 30(2), 20-28.

RABELO, S. S. T., ROGERS, P., RIBEIRO, K. C. de S. & SECURATO, J. R. (2007). Análise comparativa de carteiras com práticas de governança corporativa inferiores e superiores. Revista de Gestão USP, 14(spe), 1-16.

RIBEIRO, H. C. M., COSTA, B. K., FERREIRA, M. P. & SERRA, B. P. de C. (2012). Produção científica sobre os temas governança corporativa e stakeholders em periódicos internacionais. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO.

RIBEIRO, H. C. M., MURITIBA, S. N. & MURITIBA, P. M. (2012). Perfil e crescimento dos temas “governança corporativa” e “estratégia”: uma análise dos últimos 11 anos nos periódicos da área de administração no Brasil. Gestão & Regionalidade, 28(82), 83-99.

RICHARDSON, R. J. & PERES, J. A. de S. (1989). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

ROCCA, M. L. (2007). The influence of corporate governance on the relation between capital structure and value. Emerald Group Publishing Limited, 7(3).

RODRIGUES, A. L. & MALO, M. C. (2006). Estruturas de governança e empreendedorismo coletivo: o caso dos doutores da alegria. Revista de Administração Contemporânea, 10(3), 29-50.

ROSSONI, L. & GUARIDO FILHO, E. R. (2009). Cooperação entre programas de pós-graduação em administração no Brasil: evidências estruturais em quatro áreas temáticas. Revista de Administração Contemporânea, 13(3), 366-390.

ROSSONI, L. & MACHADO-DA-SILVA, C. L. (2010). Institucionalismo organizacional e práticas de governança corporativa. Revista de Administração Contemporânea, spe, 173-198.

SAITO, R. & SILVEIRA, A. D. M. (2008). Governança corporativa: custos de agência e estrutura de propriedade. Revista de Administração de Empresas, 48(2), 79-86.

SILVA, M. B. de & GRIGOLO, T. M. (2002). Metodologia para iniciação científica à prática da pesquisa e da extensão II. Caderno Pedagógico. Florianópolis: Udesc.

SILVEIRA, A. D. M. da. (2005). Governança cor porativa: desempenho e valor da empresa no Brasil. São Paulo: Saint Paul Editora.

SILVEIRA, A. D. M. da., BARROS, L. A. B. de C. & FAMÁ, R. (2003). Estrutura de governança e valor das companhias abertas brasileiras. Revista de Administração de Empresas, 43(3), 50-64.

SILVEIRA, A. D. M. da., BARROS, L. A. B. de C. & FAMÁ, R. (2008). Atributos corporativos e concentração acionária no Brasil. Revista de Administração de Empresas, 48(2), 51-66.

SOUZA, F. C. de. & BORBA, J. A. (2007). Governança corporativa e remuneração de executivos: uma revisão de artigos publicados no exterior. Contabilidade Vista & Revista, 18(2), 35-48.

SOUZA, M. T. S. de, MACHADO JÚNIOR, C., PARISOTTO, I. R. dos S. & SILVA, H. E. M. da. (2011). A pós-graduação stricto sensu em administração como elemento de formação de pesquisadores na área ambiental. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO. XXXV EnANPAD. Anais Eletrônicos… Rio de Janeiro: ANPAD, 2011. Recuperado em 26 setembro, 2011, de http://www.anpad.org.br/.

STROH, L. K., BRETT, J. M., JOSEPH, P., REILLY, B. & REILLY, A. H. (1996). Agency theory and variable pay compensation strategies. Academy of Management Journal, 39(3), 751-767.

TERRA, P. R. S. & LIMA, J. B. N. de. (2006). Governança corporativa e a reação do mercado de capitais à divulgação das informações contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, 42, 35-49.

TESTA, J. (1998). A base de dados ISI e seu processo de seleção de revistas. Ciência da Informação, 27(2), 233-235.

VANTI, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, 31(2), 152-162

VIEIRA, S. P. & MENDES, A. G. S. T. (2006). Governança corporativa: uma análise de sua evolução e impactos no mercado de capitais brasileiro. Organizações e Contexto, 2(3), 48-67.

ZAPATA, C. B. (2008). Revisión bibliométrica del concepto de gobierno corporativo. Management, 17(30), 73-101.