As Instituições Superiores de Auditoria: um estudo do nível de transparência fiscal dos países Outros Idiomas

ID:
9148
Resumo:
Esta pesquisa objetivou identificar a existência de relações entre as variáveis: nível de independência e nível de atuação de uma Instituição Superior de Auditoria e o nível de transparência de uma nação, utilizando a técnica de regressão logística binária. A amostra estudada foi composta por dados de 85 países, obtidos da base de dados do Open Budget Initiative 2008. Apenas a variável nível de atuação foi considerada significativa, não sendo possível identificar a existência de relação entre o nível de independência e o nível de transparência fiscal. O modelo resultante da regressão logística binária apresentou probabilidade de correta classificação de 92,9%. Considerando-se as duas categorias do modelo, baixo ou regular e bom nível de transparência a percentagem de correta classificação foi de 94,7% e 50,0%, respectivamente. Estas constatações validaram parcialmente a hipótese de que bom nível de independência e bom nível de atuação de uma instituição Superior de Auditoria estão associados a um bom nível de transparência fiscal, propiciando a afirmação de que nos países em que as Instituições  Superiores de Auditoria são atuantes, os gestores se pré-dispõem a utilizar práticas relacionadas com a transparência fiscal.
Citação ABNT:
SUZART, J. A. S.As Instituições Superiores de Auditoria: um estudo do nível de transparência fiscal dos países. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 15, n. 3, p. 107-118, 2012.
Citação APA:
Suzart, J. A. S.(2012). As Instituições Superiores de Auditoria: um estudo do nível de transparência fiscal dos países. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(3), 107-118.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9148/as-instituicoes-superiores-de-auditoria--um-estudo-do-nivel-de-transparencia-fiscal-dos-paises/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Arrow, K. J. (1963, December). Uncertainty and the Welfare Economics of Medical Care. The American Economic Review, 53(5), 941-973.

Clark, C., Martinis, M. de, & Krambia-Kapardis, M. (2007). Audit quality attributes of European Union supreme audit institutions. European Business Review, 19(1), 40-71.

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (7a ed.) (2003). Métodos de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman.

Dye, K. M., & Stapenhurst, R. (1998). Pillars of Integrity: The Importance of Supreme Audit Institutions in Curbing Corruption. Washington: The Economic Development Institute of the World Bank.

Fundo Monetário Internacional. (2001, fevereiro). Manual Revisto de Transparência Fiscal. Recuperado em 15 junho, 2008, de http://www. imf.org/external/np/fad/trans/por/manualp.pdf.

International Budget Partnership. (2010) About the Open Budget Initiative. Recuperado em 15 janeiro, 2010, de http://www.openbudgetindex. org/index.cfm?fa=about.

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the Firm: Managerial Behavior, Agency Costs and Ownership Structure. Recuperado em 19 março, 2010, de http://papers.ssrn.com/abstract=94043.

Kopits, G., & Craig, J. (1998, January). Transparency in Government Operations. IMF – Occasional Paper, 158, 1-42.

Leeuwen, S. van. (2004). Auditing International Environmental Agreements: The Role of Supreme Audit Institutions. The Environmentalist, 24, 93–99.

Lemaître, A. (2009). Organisations d’économie sociale et solidare: Lecture de réalités Nord et Sud à travers l’encastrement politique et une approche plurielle de l’économie. Louvain: Presses universitaires de Louvain,

Leruth, L., & Paul, E. (2006, September). A Principal-Agent Theory Approach to Public Expenditure Management Systems in Developing Countries. IMF Working Paper, 06/204, 1-43.

Maroco, J. (3a ed.) (2007). Análise Estatística – Com utilização do SPSS. Lisboa: Edições Sílabo.

Nikodem, A. (2004). Constitutional Regulation of Supreme Audit Institutions in Central Eu rope in a Comparative Perspective. Managerial Law, 46(6), 32-52.

Pereira, J. M. (2005, abril/junho). Reforma do Estado e controle da corrupção no Brasil. Caderno de Pesquisas em Administração, 12(2), 1-17.

Premchand, A. (2002). Fiscal Transparency and Accountability: Idea and Reality. In United Nations. Globalization and new challenges of public finance: Financial management, transparency and accountability. (pp. 129-143) New York: United Nations.

Suzuki, Y. (2004, March). Basic Structure of Government Auditing by a Supreme Audit Institution. Government Auditing Review, 11, 39-53

World Bank. (2004, October 7). Supporting and Strengthening Supreme Audit Institutions: A World Bank Strategy. Recuperado em 15 março, 2010, de http://siteresources.worldbank.org / EXTFINANCIALMGMT/Resour ces/313217-1196225463975/44409961196226228826/WB-Strategy-Support-Strength-SAIs.pdf.