Acumulações discricionárias extremas em ambientes de recessão: uma análise comparativa entre Brasil e Estados Unidos Outros Idiomas

ID:
9150
Resumo:
A literatura sobre gerenciamento de resultados está usualmente focada no comportamento oportunista dos gestores que objetivam, por exemplo, incrementar o lucro (ou reduzir o prejuízo) de uma dada empresa. Não obstante, a interferência do gestor pode reduzir o valor do resultado e, se extrema, uma acumulação discricionária negativa caracteriza o que se convencionou denominar big bath, ou seja, uma tentativa de reduzir o impacto de eventuais acumulações discricionárias positivas do passado e/ou facilitar a obtenção da lucratividade mínima estipulada para o próximo período. Nesse sentido, o artigo procurou demonstrar que as acumulações negativas escalonadas pelos ativos tornam-se mais robustas durante uma retração da atividade econômica. Para calcular tais cumulações, foram utilizados modelos de regressão, cujos parâmetros foram estimados via mínimos quadrados ordinários (MQO) para uma amostra de 473 empresas de capital aberto, distribuídas entre o setor manufatureiro do Brasil e o dos Estados Unidos. Testes de hipóteses para a média do valor absoluto do primeiro quartil permitem concluir que a acumulação discricionária negativa no período de contração (2009) é estatisticamente diferente daquela calculada para o período de expansão econômica (2007).
Citação ABNT:
MACHADO, S. J.; MARTINS, S. R.; MIRANDA, V. K. Acumulações discricionárias extremas em ambientes de recessão: uma análise comparativa entre Brasil e Estados Unidos. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 15, n. 3, p. 128-136, 2012.
Citação APA:
Machado, S. J., Martins, S. R., & Miranda, V. K. (2012). Acumulações discricionárias extremas em ambientes de recessão: uma análise comparativa entre Brasil e Estados Unidos. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(3), 128-136.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9150/acumulacoes-discricionarias-extremas-em-ambientes-de-recessao--uma-analise-comparativa-entre-brasil-e-estados-unidos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Barth, M. E., Cram, D. , &.; Nelson, K. K. (2001). Accruals and the Prediction of Cash Flows. The Accounting Review, 76, 27-58.

Bartov, E., & Mohanram, P. (2004). Private information, earnings manipulations and executive stock option exercises. The Accounting Review, 79, 889-920.

Beneish, M. D. (2001). Earnings management: a perspective. Managerial Finance,.27, 3-17.

Coelho, A. C., & Lima, I. S. (2009), Gerenciamento de resultados contábeis no Brasil: comparação entre companhias de capital fechado e de capital aberto. Revista de Administração (FEA-USP), 44, 207-221.

Cohen, D. A., Dey, A., & LYS, T.Z. (2008). Real and accrual-based earnings management in the pre and post Sarbanes-Oxley periods. The Accounting Review, 83, 757-787.

Dechow, P., Ge, W., & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: a review of the proxies, their determinants and their consequences. Journal of Accounting and Economics,. 50, 344-401.

Dechow, P., Sloan, R. G., & Sweeney, A. P. (1995). Detecting earnings management. The Accounting Review, 70, 193-225.

Fama, E., & French, K. (2000). Forecasting profitability and earnings. Journal of Business, 73, 161-176.

Jarque, C. M., & Bera, A. K. (1981). Efficient tests for normality, homoscedasticity and serial independence of regression residuals: Monte Carlo evidence”. Economics Letters,.7, 313-318.

Jones, J. (1991). Earnings management during import relief investigations. Journal of Accounting Research, 29, 193-228.

Kang, S., SivaramakrishnaN, K. (1995). Issues in testing earnings management and an instrumental variable approach. Journal of Accounting Research, 33, 353-367.

Kasnik, R. (1999). On the association between voluntary disclosure and earnings management. Journal of Accounting Research, 33, p. 353-367.

Kent, P., Monem, R., & Cuffe, G. (2008). Droughts and big baths of Australian agriculture firms. Pacific Accounting Review, 20, p. 216-233.

Kothari, S. P., Leone, A. J., & Wasley, C. E. (2005). Performance matched discretionary accrual measures. Journal of Accounting and Economics. 39, 163-197.

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. São Paulo, 2001. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo,

Paulo, E. (2007). Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

Perry, S., & Williams, T. (1994). Earnings management preceding management buyout offers. Journal of Accounting and Economics, 18, 157-179.

Piotroski, J. D. (2000). Value investing: the use of historical financial statement information to separate winners from losers. Journal of Accounting Research, 38, 1-41

Santos, A., Paulo, E. (2006). Diferimento das perdas cambiais como instrumento de gerenciamento de resultados. Brazilian Business Review, 3, 15-31.

SP, Brasil. McAnally, M. L., Srivastava, A., & Weaver, C. (2008). Executive stock options, missed earnings targets and earnings management. Accounting Review, 83, 185-216.

Teoh, S., Welch, I., & Wong, T. (1998). Earnings management and the long-run underperformance of initial public offerings. Journal of Finance, 53, 1935-1974.