Análise de possibilidades para a introdução de veículos elétricos no tráfego urbano da cidade de São Paulo: uma abordagem por meio da Análise Morfológica Outros Idiomas

ID:
9218
Resumo:
As instabilidades político-econômicas e as pressões socioambientais que afetam o mercado de combustíveis têm tornado nebuloso o futuro de médio e de longo prazo das fontes fósseis de energia e, diante dessas incertezas, muitas nações estão buscando soluções como os veículos elétricos ou híbridos para a questão do transporte, pelo fato de demandarem pouco ou nenhum combustível fóssil. Neste trabalho objetivou-se identificar possibilidades válidas e aplicáveis até 2020 para a introdução de veículos elétricos no trafego urbano da cidade de São Paulo. No desenvolvimento do estudo foi usado o método de pesquisa bibliográfica em fontes secundárias para a apresentação das tecnologias e a identificação das variáveis que, posteriormente, foram avaliadas pelo método de análise morfológica para a estruturação das opções identificadas. Na análise morfológica, o autor selecionou as variáveis para análise e definiu conjuntos de valores para elas. As combinações de tais conjuntos de valores foram estruturadas, opções claramente impossíveis ou pouco viáveis até 2020 foram descartadas e as possibilidades desejáveis ou viáveis foram analisadas de forma mais detalhada. Dessas análises, concluiu-se que existem opções viáveis para a atual realidade da cidade de São Paulo, mas importantes requisitos tecnológicos, políticos, de mercado, de infraestrutura e de inovação em produtos e serviços ainda não foram atendidos e, por isso, os veículos elétricos continuam não sendo percebidos pelos consumidores como uma opção viável aos veículos com motor de combustão interna. Os desafios ainda são grandes e os atores que se dispuserem a resolvê-los encontrarão um mercado promissor para explorar.
Citação ABNT:
PUPO, A. S.Análise de possibilidades para a introdução de veículos elétricos no tráfego urbano da cidade de São Paulo: uma abordagem por meio da Análise Morfológica. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v. 4, n. 2, p. 3-20, 2012.
Citação APA:
Pupo, A. S.(2012). Análise de possibilidades para a introdução de veículos elétricos no tráfego urbano da cidade de São Paulo: uma abordagem por meio da Análise Morfológica. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 4(2), 3-20.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9218/analise-de-possibilidades-para-a-introducao-de-veiculos-eletricos-no-trafego-urbano-da-cidade-de-sao-paulo--uma-abordagem-por-meio-da-analise-morfologica/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Acevedo, C. R. & Nohara, J. J. (2007). Monografia no curso de administração: guia completo de conteúdo e forma. 3a ed. São Paulo: Atlas.

Alexander, M. (2006). Plug-in hybrid electric vehicle powertrain requirements (Relatório de Pesquisa), Palo Alto, CA, Electric Power Research Institute.

Baran, R. & Legey, L. F. L. (2010). Veículos elétricos: história e perspectivas no Brasil. Anais do Congresso Brasileiro de Energia, 13, Rio de Janeiro RJ, Brasil.

Coutinho, L. G., Castro, B. H. R. & Ferreira, T. T. (2010). Veículo elétrico, Políticas Públicas e o BNDES: oportunidades e desafios. In J. P. R. Velloso (Coord.), Estratégia de implantação do carro elétrico no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE), Cadernos Fórum Nacional 10.

Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo. (2011). Estatísticas do trânsito: frota de veículos em SP - por tipo de veículo. Recuperado em 01 de outubro, 2012, de http://goo.gl/zC5oq.

Erber, P. (2010). Automóveis elétricos a bateria: uma política para sua utilização no Brasil. In J. P. R. Velloso (Coord.), Estratégia de implantação do carro elétrico no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE), Cadernos Fórum Nacional 10.

Gil, A. C. (2010). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5a ed. São Paulo: Atlas.

Gomes, L. M. M. (2010). O veículo eléctrico e a sua integração no sistema eléctrico. Dissertação de Mestrado, Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa: Lisboa, Portugal.

Hensley, R., Knupfer, S. M. & Krieger, A. (2011). The fast lane to the adoption of electric cars. McKinsey Quarterly, Automotive & Assembly Practice, 3.

International Energy Agency. (2010). World energy outlook 2010 Executive Summary (Relatório de Pesquisa), Paris, França.

Johnson, B. B., Wright, J. T. C. & Guimarães, P. P. D. (1987). Prognósticos tecnológicos como atividade complementar do planejamento: a experiência do CENPES em águas profundas. São Paulo: Fundação Instituto de Administração (FIA).

Kampman, B., Braat, W., Essen, H. & Gopalakrishnan, D. (2011). Impacts of electric vehicles – deliverable 4 – economic analysis and business models (Relatório Técnico), Delft, Netherlands, CE Delft.

Kley, F., Lerch, C. & Dallinger, D. (2011). New business models for electric cars -a holistic approach. Energy Policy, 39(6), 3392-3403.

Larminie, J. & Lowry, J. (2003). Electric vehicle technology explained. West Sussex: John Wiley & Sons.

Medeiros, J. B. (2006). Redação científica: a prática de fichamento, resumos, resenhas. 8ª ed. São Paulo: Atlas.

Ministério do Meio Ambiente. (2010). 1º Inventário nacional de emissões atmosféricas por veículos automotores rodoviários (Relatório de Pesquisa), Brasília, DF, Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, Diretoria de Mudanças Climáticas.

National Energy Technology Laboratory. (2002). Battery-powered electric and hybrid electric vehicle projects to reduce greenhouse gas emissions: a resource guide for project development (Relatório Técnico), Pittsburgh, PA.

Porter, A. L., Roper, A. T., Mason, T. W., Rossini, F. A. & Banks, J. (1991). Forecasting and management of technology. New York: Wiley Interscience.

Puerto Rico, J. A. (2007). Programa de biocombustíveis no Brasil e na Colômbia: uma análise da implantação, resultados e perspectivas. Dissertação de Mestrado, Programa Interunidades de Pós-graduação em Energia da Universidade de São Paulo: São Paulo, SP, Brasil.

Rezende, S., Mota, R. & Duarte, A. (2010). Os veículos elétricos e as ações do Ministério da Ciência e Tecnologia. In J. P. R. Velloso (Coord.), Estratégia de implantação do carro elétrico no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE), Cadernos Fórum Nacional 10.

Ribeiro, J. M. F. (1997). Prospectiva e cenários – uma breve introdução metodológica (Série Prospectiva – Métodos e Aplicações). Lisboa: Departamento de Prospectiva e Planejamento.

Sacchi, R. (2010). VE, legislação do setor de energia elétrica e impacto sobre as concessionárias de distribuição. In Anais do Seminário Veículos Elétricos & Rede Elétrica, 2. Rio de Janeiro: VER 2010.

Silva, L. L. C. D. (2011). Morphological analysis of the introduction of electric vehicles in São Paulo’s Urban Traffic. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 3(1), 14-36.

Velloso, J. P. R. (Coord.). (2010). Estratégia de implantação do carro elétrico no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE), Cadernos Fórum Nacional 10.

Vergara, S. C. (2003). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 4a ed. São Paulo: Atlas.

Wright, J. T. C. & Spers, R. G. (2006). O país no futuro: aspectos metodológicos e cenários. Estudos Avançados, 20(56), 13-28.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos (2a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Zwicky, F. (1969). Discovery, invention, research: through the morphological approach. Toronto: The Macmillan Company.