O paradoxo da inserção social na gestão privada do bem público: estudo de caso de gestão energética implementada em cidade no Estado de Santa Catarina Outros Idiomas

ID:
9507
Resumo:
O presente artigo apresenta resultados de um estudo de caso, documental e bibliográfico, que teve como objetivo principal analisar os mecanismos que proporcionaram o envolvimento cidadão no processo da implantação de uma usina de energia movida a biomassa e gerida por uma empresa privada catarinense. O setor energético foi escolhido por envolver princípios de sustentabilidade e desenvolvimento ambiental. O estudo aponta para a ratificação da incongruência na formulação de políticas públicas participativas, uma vez que essas ficam prejudicadas e/ou limitadas por se pautar em uma matriz nacionalmente pré-estabelecida, a qual não oferece espaço à participação direta da sociedade.
Citação ABNT:
BIER, C. A.; MORAES, M. C. B.; TEIXEIRA, G. P.; FREITAG, A. R. O paradoxo da inserção social na gestão privada do bem público: estudo de caso de gestão energética implementada em cidade no Estado de Santa Catarina. Administração Pública e Gestão Social, v. 5, n. 1, p. 19-40, 2013.
Citação APA:
Bier, C. A., Moraes, M. C. B., Teixeira, G. P., & Freitag, A. R. (2013). O paradoxo da inserção social na gestão privada do bem público: estudo de caso de gestão energética implementada em cidade no Estado de Santa Catarina. Administração Pública e Gestão Social, 5(1), 19-40.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9507/o-paradoxo-da-insercao-social-na-gestao-privada-do-bem-publico--estudo-de-caso-de-gestao-energetica-implementada-em-cidade-no-estado-de-santa-catarina/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ANEEL. Agencia Nacional de Energia Elétrica (Brasil). (2002). Atlas de energia elétrica do Brasil/Agencia Nacional de Energia Elétrica . Brasília, (DF): ANEEL.

AYALA, P.A.; LEITE, J.R.M. (2002). Direito ambiental na sociedade de risco. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

BARBER, B. (1984). Strong democracy: Participatory politics for a new age. Berkeley and Los Angeles: University of California Press.

BOX, R. C. (1998). Citizen governance: Leading American communities into the 21st century. Thousand Oaks, CA: Sage.

BRASIL (2003). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Gestão. Gestão pública para um Brasil de todos: um plano de gestão para o Governo Lula/Secretaria de Gestão – Brasília, (DF): MP, SEGES.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] Republica Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal. Acedido em: 04 nov. 2006, em: http://www.senado.gov.br.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. (2006). A agenda 21. Acedido em: 04 nov, em: http://www.mma.gov.br.

DEMO, P. (1997). Conhecimento moderno: sobre ética e intervenção do conhecimento. Petropólis: Vozes.

DENHARDT, R. B.; DENHARDT, J.V. (2003). The new public service: Serving, not Steering. New York: M.E.Sharpe,

EMBRAPA. (2007). Fontes renováveis de energia. Disponível em: http://www.embrapa.gov.br/. Acesso em: 03 de março de 2012.

JANNUZZI, G. de M. (2000). Políticas públicas para eficiência energética e energia renovável no novo contexto de mercado: uma análise da experiência recente dos EUA e do Brasil. São Paulo: Autores Autorizados.

JOHN, L.; CAMPANILI, M. (2006). Brasil pode “sujar” imagem de país limpo. Estado.com.br. Geral. Acedido em 25 jul. 2006, em: http://www.estadao.com.br/editorias/2000/12/16/ger310.htm>.

LEROY, J. P.; ACSELRAD, H. (2000). Brasil no limiar do século XXI. Novas Premissas para a Construção de um Brasil Sustentável. In: RATTNER, Henrique (org.). São Paulo: EDUSP.

NAVES, R. (2005). Novas possibilidades para o exercício da cidadania. In: PINSKY, J.; PINSKY,C. B. História da Cidadania. São Paulo: Contexto.

OLIVEIRA, O. B. de. (2005). A participação do administrado no processo administrativo. Jus Navigandi, Teresina, ano 9, n. 567. Acedido em: 21 maio 2007, em: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=6217.

PALERMO, F.; ARANTES, P. T. L. (2002). Participação social e gestão pública: as armadilhas da política de descentralização. Participação pública: cidadãos, participantes, líderes, seguidores e agentes. In: GOMES, E.C.; MUNIZ, J.N. Belo Horizonte.

PATEMAN, C. (1970). Participation and democratic theory. Cambridge, MA: Cambridge University Press.

PNUD. (2007). Projetos: Apoio à Reestruturação do Setor Energético. Acedido em: 02 jul. 2007, em: http://www.pnud.org.br/projetos/energia/visualiza.php?id07=159.

REMADE - REVISTA DA MADEIRA. n.106, ano 18. Online. Disponível em http://www.remade.com.br/. Acesso em: 28 de outubro de 2011.

ROBERTS, N. (2004). Public deliberation in an age of direct citizen participation. American Review of Public Administration. St. Louis. v.34, n.4, p. 315-353.

SACHS, I. (2003) Caminhos para o desenvolvimento sustentável. 3.ed. Rio de Janeiro: Garamond. Coleção Idéias Sustentáveis.

SANTA CATARINA (2005). Lei Complementar Estadual nº 284/2005 de 28 de fevereiro de 2005. Florianópolis: ALESC.

SCOTTO, G.; CARVALHO, I. C. de M.; GUIMARÃES, L. B. (2008). 3.ed. Desenvolvimento Sustentável. Petrópolis, RJ: Vozes, Coleção Conceitos Fundamentais.

SEGUIN, E. (2002). Participação social e gestão pública: as armadilhas da política de descentralização. Princípio da participação: um enfoque de direito ambiental. In: GOMES, E.C.; MUNIZ, J.N. Belo Horizonte,

TRACTEBEL ENERGIA S.A.. Histórico e responsabilidade social. Acedido em 20 maio 2007, em: http://www.tractebelenergia.com.br.

TRACTEBEL ENERGIA S.A.. Pesquisa e desenvolvimento. Acedido em 20 maio 2007, em: http://www.tractebelenergia.com.br.

VALLE, C. E. (1995). Qualidade Ambiental: como ser competitivo protegendo o meio ambiente. São Paulo: Pioneira.

WALDMAN, M. (2005). Natureza e sociedade como espaço de cidadania. In: PINSKY, Jaime; PINSKY, Carla Bassanezi. História da Cidadania. São Paulo: Contexto.

WUNDER. R. (2003). Processos de interação social do setor elétrico brasileiro e da legislação ambiental: entre o mundo sistêmico e as racionalidades do mundo da vida. Desenvolvimento e meio ambiente. Curitiba. n. 7, p. 77-94.

YIN, R. K. (1989). Case study research: Design and method. California: Newbury Park.