Uma escala para mensuração da importância percebida pelos docentes sobre a abordagem socioambiental nos cursos de administração de empresas Outros Idiomas

ID:
9538
Resumo:
As empresas representam uma entidade de grande poder sobre a sociedade com relação à sustentabilidade. As decisões tomadas pelas organizações geram impactos significativos sobre a sociedade. Nesse sentido, torna-se importante saber qual é a importância atribuída pelos profissionais de educação a temas como gestão ambiental e sustentabilidade, principalmente em cursos de administração, já que eles são o principal veículo de formação dos futuros gestores. Essa foi a preocupação de Costa et al. (2008), quando os autores avaliaram a importância atribuída por professores para a área da gestão ambiental. O presente trabalho constitui-se uma extensão daquela pesquisa, à medida que se busca abordar conceitos sugeridos pelos autores, mas ainda não contemplados. O objetivo geral é a construção de uma escala para mensuração da importância da abordagem socioambiental nos cursos de administração de empresas na percepção dos docentes. O mapeamento dos constructos e sua forma de operacionalização foram obtidos por meio da revisão de literatura e da avaliação de pesquisadores doutores da área. Após essa primeira fase, realizou-se uma análise fatorial confirmatória, e os testes sugerem que as características psicométricas de um bom instrumento foram atingidas. A aplicação do instrumento com 100 professores mostrou que estes entendem que uma boa formação em administração necessita do envolvimento com questões socioambientais. Segundo eles, os cursos de administração não abordam de forma satisfatória a temática socioambiental, nem incentivam a abordagem desse tema dentro da sala de aula. Além disso, há uma descrença por parte desses profissionais quanto às reais preocupações das empresas com os temas sustentáveis. Embora a maioria tenha formado conceitos bem próximos do conceito mais usual para definição de sustentabilidade, os aspectos econômicos, sociais e culturais não foram citados. Finalmente, poucos indicam a forma como o conceito é tratado, ou seja, não há menções relevantes a projetos de pesquisa e/ou de intervenção organizacional.
Citação ABNT:
MACEDO, C. V. P.; FREITAS, A. A. F.; GUERRA, D. S. Uma escala para mensuração da importância percebida pelos docentes sobre a abordagem socioambiental nos cursos de administração de empresas. Revista de Administração Mackenzie, v. 14, n. 1, p. 75-97, 2013.
Citação APA:
Macedo, C. V. P., Freitas, A. A. F., & Guerra, D. S. (2013). Uma escala para mensuração da importância percebida pelos docentes sobre a abordagem socioambiental nos cursos de administração de empresas. Revista de Administração Mackenzie, 14(1), 75-97.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9538/uma-escala-para-mensuracao-da-importancia-percebida-pelos-docentes-sobre-a-abordagem-socioambiental-nos-cursos-de-administracao-de-empresas/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ASHLEY, P. A. Ética e responsabilidade social nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2002.

BARBIERI, J. C. Educação ambiental e a gestão ambiental em cursos de graduação em administração: objetivos, desafios e propostas. Revista de Administração Pública, v. 38, n. 6, p. 919-946, 2004.

COLE, A. Expanding the field: revisiting environmental education principles through multidisciplinary frameworks. Journal of Envitonmental Education, v. 38, n. 2, p. 35-46, 2007.

COOPERRIDER, D. Café com sustentabilidade: empresas, universidades e sociedade num mundo sustentável. São Paulo: Fecomercio, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2009.

COSTA, F. C. Relacionamento entre influências ambientais e o comportamento de compra por impulso: um estudo em lojas físicas e virtuais. 2002. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

COSTA, F. J. et al. A gestão ambiental na formação em administração: uma análise da perspectiva dos alunos. In: ENCONTRO NACIONAL DE GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE (ENGEMA), 10., 2008, Porto Alegre. Anais...Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

CRONBACH, L. J. Coefficient alpha and the internal structure of tests. Psychometrika,v. 16, n. 3, p. 197-334, Sept. 1951.

DEVELLIS, R. F. Scale development: theory and applications. Newbury Park: Sage, 1991.

FERREIRA, D. D. M., FERREIRA, L. F. O ensino de gestão ambiental nos cursos de administração de empresas nas IES (instituições de ensino superior) do estado de Santa Catarina: um estudo exploratório. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 4., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense, 2008.

FIELD, A. P. Discovering statistics using SPSS for Windows: advanced techniques for the beginner. London: Sage, 2000.

GONÇALVES-DIAS, S. L. F. et al. Consciência ambiental: um estudo exploratório sobre suas implicações para o ensino de administração. RAE-eletrônica, v. 8, n. 1, jan./jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2010.

GOSLING, M. Estratégias de relacionamento no setor bancário brasileiro: um estudo empírico. 2002. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

HAIR JR., J. F., ANDERSON, R. E., TATHAM, R. L., BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. Tradução Adonai Schlup Sant’Anna e Anselmo Chaves Neto. 6a ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HAIR JR., J. F., BABIN, B., MONEY, A. H., SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Tradução Lene Belon Ribeiro. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HUNT, C. B., AUSTER, E. R. Proactive environmental management: avoiding the toxic trap. MIT Sloan Management Review, v. 31, n. 2, p. 7-18, 1990.

JABBOUR, C., SANTOS, F., BARBIERI, J. Gestão ambiental empresarial: um levantamento da produção científica brasileira divulgada em periódicos da área de Administração entre 1996 e 2005. Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 3, p. 689-715, jul./set. 2008.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, mar. 2003.

KAISER, H. F. An index of factorial simplicity. Psychometrika, v. 39, p. 31-36, 1974.

KRUGLIANSKAS, I. Ensino da gestão ambiental em escolas de administração de empresas: a experiência da FEA-USP. In: ENCONTRO NACIONAL DE GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE, 1993, São Paulo. Anais...São Paulo: FEA-USP, Eaesp-FGV, 1993.

MARÔCO, J. Análise de equações estruturais: fundamentos teóricos, software e aplicações. Pêro Pinheiro: Report Number, 2010. 374 p.

MOORMAN, C., MINER, A. S. The convergence of planning and execution: improvisation in new product development. Journal of Marketing, v. 62, n. 3, p. 1-20, 1998.

PAYNE, P. Environmemtal education and curriculum theory. The Journal of Environmental Education, v. 35, n. 1, p. 1-12, 2006.

PINHEIRO, L., MONTEIRO, D., PEÑALOZA, V., MACHADO, D. Educação ambiental: um instrumento de diagnóstico para a inclusão da temática de sustentabilidade em instituições de ensino superior. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO (SEMEAD), 13., 2010, São Paulo. Anais...São Paulo: USP, 2010.

PORTER, M. E., LINDE, C. V. D. Green and competitive: ending the stalemate. Harvard Business Review, v. 73, n. 5, p. 120-134, 1995.

RAMOS, R. R. Experiência do cliente no ponto de venda varejista. 2009. 143 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Centro de Estudos Sociais Aplicados, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2009.

RAYKOV, T., MARCOULIDES, G. A. A first course is structural equation modeling. 2a ed. New York: Psychology Press, 2006. 238 p.

SORDI, M. R. L. Responsabilidade social no ensino superior. Revista da Associação Brasileira de Mantenedores do Ensino Superior (Abmes), Brasília, v. 23, n. 34, p. 29-40, abr. 2005.

STRIFE, S. Reflecting on environmental education: where is our place in the Green Movement? The Journal of Environmental Education, v. 41, n. 3, p. 179-191, 2010.

WARE, J. Standards for validating health measures: definition and content. Journal of Chronic Diseases, v. 40, p. 473-480, 1987.