A dança dos Blocos, Empresários, Políticos e Técnicos: condicionantes da dinâmica de colaboração interorganizacional do carnaval de Salvador Outros Idiomas

ID:
9628
Resumo:
Ao analisar a evolução dos processos de colaboração entre entidades públicas e privadas no planejamento e operação do Carnaval de Salvador, dentro de uma perspectiva histórica, propomos alguns fatores que ajudam a explicar a dinâmica de colaboração interorganizacional em megaeventos. Processos interativos envolvendo diferentes agências tornaram-se fundamentais na medida em que o evento cresceu em tamanho, diversidade e complexidade. Para tanto, sob o ponto de vista teórico, utilizamos as lentes das teorias de colaboração interorganizacional e, sob o ponto de vista empírico, utilizamos uma abordagem qualitativa por meio de análise documental e entrevistas em profundidade junto a 13 atores relevantes. Nossas análises apontam que os processos colaborativos para a organização do Carnaval de Salvador estão relacionados com o alinhamento político entre as esferas municipal e estadual, com o grau de centralidade ocupado por alguns atores no processo, com a presença de um corpo técnico
Citação ABNT:
CABRAL, S.; KRANE, D.; DANTAS, F. A dança dos Blocos, Empresários, Políticos e Técnicos: condicionantes da dinâmica de colaboração interorganizacional do carnaval de Salvador. Organizações & Sociedade, v. 20, n. 64, p. 145-163, 2013.
Citação APA:
Cabral, S., Krane, D., & Dantas, F. (2013). A dança dos Blocos, Empresários, Políticos e Técnicos: condicionantes da dinâmica de colaboração interorganizacional do carnaval de Salvador. Organizações & Sociedade, 20(64), 145-163.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9628/a-danca-dos-blocos--empresarios--politicos-e-tecnicos--condicionantes-da-dinamica-de-colaboracao-interorganizacional-do-carnaval-de-salvador/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGRANOFF, R.; MCGUIRE, M. Big questions in public network management. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 11, n. 3, p. 295-327, 2001.

ALTER, C.; HAGE, J. Organizations working together. Newbury Park, CA: Sage, 1993.

ANSELL, C.; GASH, A. Collaborative governance in theory and practice. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 18, n. 4, p. 543-571, 2008.

ARRETCHE, M. et al. Capital social, política partidária e racionalidade dos atores: estudando os conselhos de desenvolvimento rural. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO

BABBIE, E. The pratice of social research. 12. ed. Wadsworth: Cenage, 2010.

BINGHAM, L. B.; O’LEARY, R. (Ed.). Big ideas in collaborative public management. Armonk, N.Y.: M. E. Sharpe, 2008.

CABRAL, S.; KRANE, D.; DANTAS, F. “Carnaval in Salvador, Brazil: a case-study of interorganizational collaboration.” Paper presented at the JCPA/ICPA-Forum, Fundação Getulio Vargas, São Paulo, Brazil, November (mimeo), 2011.

DANTAS DOS REIS, J.M. Identité, leadership et changement organisationnel dans les blocos afro du carnaval de Bahia. Paris: ANRT, 2000.

DIAS, C. C. S. Carnaval de Salvador: mercantilização e produção de espaços de exclusão, segregação e confl ito. 2002. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2002.

DYER, J. H. Effective interfi rm collaboration: how fi rms minimize transaction costs and maximize transaction value. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 535556, 1997.

GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. The discovery of grounded theory: strategy for qualitative research. Chicago: Aldine, 1967.

GÓES, F. O país do carnaval elétrico. Salvador: Currupio, 1982.

HALL, C. M. The political analysis and political economy of events. In: PAGE, S.; CONNELL, J. (Ed.). The Routledge handbook of events. Routledge, 2011.

HUDSON, B. et al. In pursuit of inter-agency collaboration in the public sector. Public Management Review, v. 1, n. 2, p. 235-260, 1999.

HUMAN, S. E; PROVAN, K. G. Legitimacy building in the evolution of small-fi rm networks: a comparative study of success and demise. Administrative Science Quarterly, n. 45, p. 327-65, 2000.

INFOCULTURA. Carnaval 2007: uma festa de meio bilhão de reais. Salvador: Secretaria de Cultura do Estado; Fundação Pedro Calmon; Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia, 2007.

KIRK, E.; NABATCHI, T.; BALOGH, S. An integrative framework for collaborative governance. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 22, n. 1, p. 1-29, 2012.

KRANE, D.; LU, Z. The attractions and challenges of collaborative public management. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON PUBLIC MANAGEMENT IN THE 21st CENTURY: Opportunities and Challenges, 4., 2010, Macau, China. Anais… Macau: University of Macau, 2010

LOIOLA, E.; MIGUEZ, P. Creative industries development in Brazil: integral connections within bahian carnival cluster. Final project report submitted to W. K. Kellogg Foundation, 2009.

MELO, A. J. F.; MELO, C. H. F. A gestão no reino de Momo: dilemas e perspectivas da segurança pública no carnaval de Salvador. Revista da Rede Nacional de Especialização em Segurança Pública – RENAESP/UFBA, Salvador, v. 1, n. 1, p. 3958, 2007.

MENEZES, R. Um povo a mais de mil: os frenéticos carnavais de baianos e caetanos. São Paulo: Scritta, 1994.

MIGUEZ, P. Carnaval baiano: as tramas da alegria e a teia de negócios. 1996. Dissertação (Mestrado) – Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1996.

MIGUEZ, P.; LOIOLA, E. A economia do carnaval da Bahia. Bahia: Analise e Dados, v. 21, n. 2, p. 285-299, 2011.

MOURA, M. Carnaval e baianidade: arestas e curvas na coreografi a de textos identitários do carnaval de Salvador. 2001.Tese (Doutorado) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

MYERS. M. Qualitative research in business and management. London: Sage, 2009.

O´LEARY, R; VIJ, N. Collaborative public management: where have we been and where Are we going? The American Review of Public Administration,v. 20, n. 10, p. 1-16, 2012.

OLSON, M. A lógica da ação coletiva: os benefícios públicos e uma teoria dos grupos sociais. São Paulo: EDUSP, 1999.

OSPINA, S.; FOLDY, E. Building bridges from the margins: the work of leadership in social change organizations. The Leadership Quarterly, n. 21, p. 292-307, 2010.

OSTROM, E. Collective action theory. In: BOIX, C.; STOKES, S. (Ed.). Oxford handbook of comparative politics. Oxford: Oxford University Press, 2005.

OSTROM, E. Governing the commons: the evolution of institutions for collective action. New York: Cambridge University Press, 1990.

OUDOT, J. M. Risques et performance des contrats d’armement. Défense Nationale et Sécurité Collective, n. 2, p. 132-140, fev. 2008.

PROVAN, K.; KENNIS, G. Modes of network governance: structure, management, and effectiveness. Journal of Public Administration Research and Theory, n. 18, p. 229-52, 2008.

RING, P. S.; VAN DE VEN, A. H. Developmental processes of cooperative interorganizational relationships. Academy of Management Review, v. 19, n. 1, p. 90-118, jan. 1994.

RISÉRIO, A. Carnaval Ijexá. Salvador: Currupio, 1981.

RISÉRIO, A. Carnaval: as cores da mudança. Conferência na Universidade da Flórida, 1993. (mimeo.).

SANTOS, F.; CROCCO, M.; LEMOS, M. B. Arranjos e sistemas produtivos locais em ‘espaços industriais’ periféricos: estudo comparativo de dois casos brasileiros. Revista de Economia Contemporânea, v. 6, n. 2, p. 147-180, 2002.

UZZI, B. Social structure and competition in interfi rm networks: the paradox of embeddedness. Administrative Science Quarterly, n. 42, p. 35-68, 1997.

VAINER, C. B. Mega eventos e a cidade de exceção. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL MEGA EVENTOS E A CIDADE, 2010, Niterói. Disponível em: http:// br.boell.org/downloads/carlos_vainer_ippur_cidade_de_excecao_refl exoes_a_ partir_do_rio_de_janeiro.pdf. Acesso em: 13 jun. 2012.

VIEIRA, N. C. A gestão da festa: um estudo sobre o poder público municipal e a organização do carnaval de Salvador. 2009. Monografi a (Graduação) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, salvador, 2009.