Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) e práticas de sustentabilidade: estudo aplicado em um instituto federal de educação, ciência e tecnologia Outros Idiomas

ID:
9715
Resumo:
O presente artigo tem como objetivo geral analisar a aplicação da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) e da legislação ambiental nas atividades socioambientais praticadas por um Instituto Federal de Educação. Os objetivos específicos são: analisar a observância à legislação; mensurar a aderência da Instituição em relação às ações propostas na A3P e verificar o status da implantação das políticas socioambientais. O objetivo da pesquisa é exploratório; o  procedimento técnico utilizado é o estudo de caso; e a abordagem do problema é qualitativa. O estudo de caso foi realizado por meio da aplicação de um  check-list contendo 52 perguntas, subdivididas em cinco eixos temáticos, com opções de resposta “Adere” ou “Não Adere”. Ficou evidente que a Instituição desenvolve poucas ações de conscientização e monitoramento do uso racional dos recursos naturais e gestão dos resíduos gerados. No momento, sua prioridade é a capacitação dos técnicos administrativos e as licitações sustentáveis.
Citação ABNT:
LUIZ, L. C.; RAU, K.; FREITAS, C. L.; PFITSCHER, E. D. Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) e práticas de sustentabilidade: estudo aplicado em um instituto federal de educação, ciência e tecnologia. Administração Pública e Gestão Social, v. 5, n. 2, p. 114-134, 2013.
Citação APA:
Luiz, L. C., Rau, K., Freitas, C. L., & Pfitscher, E. D. (2013). Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) e práticas de sustentabilidade: estudo aplicado em um instituto federal de educação, ciência e tecnologia. Administração Pública e Gestão Social, 5(2), 114-134.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9715/agenda-ambiental-na-administracao-publica--a3p--e-praticas-de-sustentabilidade--estudo-aplicado-em-um-instituto-federal-de-educacao--ciencia-e-tecnologia/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988). Brasília. Recuperado em 10 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br.

BRASIL. Decreto nº 5.450, de 31 de maio de 2005 (2005). Regulamenta o pregão, na forma eletrônica, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências. Brasília. 2005. Recuperado em 11 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2005/decreto/d5450.htm.

BRASIL. Decreto nº 5.940, de 25 de outubro de 2006 (2006). Institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis, e dá outras providências. Brasília. 2006. Recuperado em 09 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5940.htm.

BRASIL. Decreto nº 99.658, de 30 de outubro de 1990 (1990). Regulamenta, no âmbito da Administração Pública Federal, o reaproveitamento, a movimentação, a alienação e outras formas de desfazimento de material. Brasília. 1990. Recuperado em 06 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D99658.htm.

BRASIL. Instrução Normativa nº 01, de 19 de janeiro de 2010 (2010). Dispõe sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional e dá outras providências. Brasília. 2010. Recuperado em 09 de julho de 2011, de http://www.comprasnet.gov.br.

BRASIL. Lei 11.892, de 29 de dezembro de 2008 (2008). Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília. 2008. Recuperado em 04 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm.

BRASIL. Lei 12.305, de 02 de agosto de 2010 (2010). Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n o 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília. 2010. Recuperado em 09 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20072010/2010/lei/l12305.htm.

BRASIL. Lei 6.938, de 31 de agosto de 1981 (1981). Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Brasília. 1981. Recuperado em 10 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm.

BRASIL. Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 (1998). Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e da outras providencias. Brasília. 1988. Recuperado em 10 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/gab/asin/lei.html.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999 (1999). Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília. 1999. Recuperado em 11 de julho de 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 20, de 07 de dezembro de 1994 (1994). Institui o Selo Ruído, como forma de indicação do nível de potência sonora, de uso obrigatório para aparelhos eletrodomésticos. Brasília. 1994. Recuperado em 05 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=161.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 257, de 30 de junho de 1999 (1999). Orienta sobre a destinação adequada para as pilhas e baterias descartadas. Brasília. 1999. Recuperado em 10 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res99/res25799.html.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 275, de 25 de abril de 2001 (2001). Estabelece códigos de cores para os diferentes tipos de resíduos. Brasília. 2001. Recuperado em 12 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res01/res27501.html.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 307, de 05 de julho de 2002 (2002). Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Brasília. 2002. Recuperado em 10 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res02/res30702.html.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 401, de 04 de novembro de 2008 (2008). Estabelece os limites máximos de chumbo, cádmio e mercúrio para pilhas e baterias comercializadas no território nacional e os critérios e padrões para o seu gerenciamento ambientalmente adequado, e dá outras providências. Brasília. 2008. Recuperado em 09 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=589.

Colauto, R.D; Beuren, I.M. (2009) Coleta, Análise e Interpretação dos Dados. In: Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade: teoria e prática. 3ª ed. São Paulo: Atlas, p. 117-144.

Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (1991) Nosso Futuro Comum, 2.ed. Rio de Janeiro, Editora FGV.

Dahlsrud , A. (2006) How Corporate Social Responsibility is Defined: an Analysis of 37 Definitions. Corporate Social Responsibility and Environmental Management. Recuperado em 25 de setembro de 2001, de http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/csr.132/pdf

Engle, R. L. (2006) Corporate Social Responsibility in Host Countries: A Perspective from American Managers. Corporate Social Responsibility and Environmental Management. Recuperado em 28 de setembro de 2011, de http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/csr.114/pdf

Freitas, C. L; Borgert, A; Pfitscher, E.D. (2011) Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P): uma análise da aderência de uma IFES as diretrizes propostas pela A3P. XVIII Congresso Brasileiro de Custos.

Gil, A. C. (1999) Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Karkotli, G. R. (2004). Responsabilidade Social: uma estratégia empreendedora. Tese de Doutorado. Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

Kraemer, M. E. P. (2003) Gestão Ambiental: Um Enfoque no Desenvolvimento Sustentável. Recuperado em 02 de agosto de 2011, de www.ambientebrasil.com.br/gestao/des_sustentavel.doc

Ministério do Meio Ambiente. (1992) Agenda 21. Recuperado em 20 de agosto de 2011, de http://www.mma.gov.br

Ministério do Meio Ambiente. (2009) A3P- Agenda Ambiental na Administração Pública. Recuperado em 02 de julho de 2011, de http://www.mma.gov.br/estruturas/a3p/_arquivos/cartilha_a3p_36.pdf

Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI): Instituto Federal Catarinense. (2009). Recuperado em 12 de setembro de 2011, de www.ifc.edu.br

Raupp, F.M; Beuren, I.M. (2009) Metodologia de Pesquisa Aplicável às Ciências Sociais. In: Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade: teoria e prática. 3ª ed. São Paulo: Atlas, p. 76-97.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. 3ª ed. São Paulo: Atlas.

Silva, M. G. (2010) Questão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: um desafio ético-político ao Serviço Social. São Paulo: Cortez Editora.

Tinoco, J. E. P; Kraemer, M. E. P. (2004). Contabilidade e Gestão Ambiental. São Paulo: Atlas.