Sustentabilidade ambiental: uma meta-análise da produção brasileira em periódicos de administração Outros Idiomas

ID:
9911
Resumo:
O objetivo deste estudo é investigar o perfil das pesquisas e a evolução do tema sustentabilidade ambiental nos artigos publicados em periódicos nacionais Qualis de Administração de A1 a B2, no período de 1992 a 2011. Trata-se de um estudo de análise bibliométrica para examinar a produção científica sobre o tema e nortear rumos e estratégias de futuras pesquisas. Os resultados mostraram que há alguns indícios que favorecem a qualidade e a consolidação da pesquisa em sustentabilidade ambiental no Brasil: a tendência de crescimento do número de artigos, mesmo que ainda concentrada em poucas revistas; a pluralidade de subtemas que surgiu principalmente nos últimos anos; o crescimento de estudos feitos por grupos de pesquisadores ao invés de iniciativas individuais; e o crescimento de estudos quantitativos que, a partir de 2007, foi maior que as pesquisas qualitativas, e a pluralidade de abordagens metodológicas. No entanto, ainda, são poucos os autores nacionais com histórico de pesquisa relevante e, nas referências, há citações internacionais e de autores nacionais que se destacam entre os mais citados e os que mais publicam.
Citação ABNT:
SOUZA, M. T. S.; RIBEIRO, H. C. M. Sustentabilidade ambiental: uma meta-análise da produção brasileira em periódicos de administração. Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 3, p. 368-396, 2013.
Citação APA:
Souza, M. T. S., & Ribeiro, H. C. M. (2013). Sustentabilidade ambiental: uma meta-análise da produção brasileira em periódicos de administração. Revista de Administração Contemporânea, 17(3), 368-396.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/9911/sustentabilidade-ambiental--uma-meta-analise-da-producao-brasileira-em-periodicos-de-administracao/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Balancieri, R., Bovo, A. B., Kern, V. M., Pacheco, R. C. S. dos, & Barcia, R. M. (2005). A análise de redes de colaboração científica sob as novas tecnologias de informação e comunicação: um estudo na plataforma lattes. Ciência da Informação, 34(1), 64-77. doi: 10.1590/S0100-19652005000100008

Balestrin, A., Verschoore, J. R., & Reyes, E., Jr. (2010). O campo de estudo sobre redes de cooperação interorganizacional no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 14(3), 458-477. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n3/v14n3a05.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552010000300005

Barbieri, J. C. (2001). Desenvolvimento e meio ambiente: as estratégias de mudanças da Agenda 21. Petrópolis: Vozes.

Bardin, L. (2009) Análise de conteúdo (5a ed.). Lisboa: Edições 70.

Bertero, C. O., Caldas, M. P., & Wood, T., Jr. (1999). Produção científica em administração de empresas: provocações, insinuações e contribuições para um debate local. Revista de Administração Contemporânea, 3(1), 147-178. doi: 10.1590/S1415-65551999000100009

Bignetti, L. P., & Paiva, E. L. (2002). Ora (direis) ouvir estrelas!: estudo das citações de autores de estratégia na produção acadêmica brasileira. Revista de Administração Contemporânea, 6(1), 105-125. doi: 10.1590/S1415-65552002000100007

Borges, P. C. R. (2002). Métodos quantitativos de apoio à bibliometria: a pesquisa operacional pode ser uma alternativa? Ciência da Informação, 31(3), 5-17.

Bufrem, L., & Prates, Y. (2005). O saber científico registrado e as práticas de mensuração da informação. Ciência da Informação, 34(2), 9-25. doi: 10.1590/S0100-19652005000200002

Chabowski, B. R., Mena, J. A., & Gonzalez-Padron, T. L. (2011). The structure of sustainability research in marketing, 1958-2008: a basis for future research opportunities. Academy of Marketing Science, 39(1), 55-70. doi: 10.1007/s11747-010-0212-7

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1988). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1996). Agência 21. Brasília: Senado Federal.

Cooper, H. M., & Lindsay, J. J. (1998). Research synthesis and meta-analysis. In L. Bickman & D. J. Rog (Eds.), Handbook of applied social research methods (pp. 315-342). Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (2011). Revistas Qualis. Recuperado de http://www.capes.gov.br/avaliacao/qualis

Donaire, D. (1994). Considerações sobre a influência da variável ambiental na empresa. Revista de Administração de Empresas, 34(2), 68-77.

Francisco, E. de R. (2011). RAE-eletrônica: exploração do acervo à luz da bibliometria, geoanálise e redes sociais. Revista de Administração de Empresas, 51(3), 280-306. doi: 10.1590/S0034-75902011000300008

Gallon, A. V., Rover, S., Souza, F. C. de, & Bellen, H. M. van. (2008). Um estudo longitudinal da produção científica em administração direcionada à temática ambiental. Revista Alcance, 15(1), 81-101.

Goulart, S., & Carvalho, C. A. (2008). O caráter da internacionalização da produção científica e sua acessibilidade restrita. Revista de Administração Contemporânea, 12(3), 835-853. doi: 10.1590/S1415-65552008000300011

Graeml, A. R., & Macadar, M. A. (2010). Análise de citações utilizadas em ADI: 10 anos de anais digitais do Enanpad (1997-2006). Revista de Administração Contemporânea, 14(1), 122-148. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n1/08.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552010000100008

Grzebieluckas, C., Campos, L. M. S. de, & Selig, P. M. (2012). Contabilidade e custos ambientais: um levantamento da produção científica no período de 1996 a 2007. Produção, 22(2), 322-332. doi: doi.org/10.1590/S0103-65132011005000054

Guarido Filho, E. R., Machado-da-Silva, C. L., & Gonçalves, S. A. (2010). Organizational institutionalism in the academic field in Brazil: social dynamics and networks [Edição Especial]. Revista de Administração Contemporânea, 14, 149-172. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14nspe/a07v14ns.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552010000600007

Jabbour, C. J. C., Santos, F. C. A., & Barbieri, J. C. (2008). Gestão ambiental empresarial: um levantamento da produção científica brasileira divulgada em periódicos da área de administração entre 1996 e 2005. Revista de Administração Contemporânea, 12(3), 689-715. doi: 10.1590/S1415-65552008000300005

Laruccia, M. M. (2012). Sustainability strategies: when does it pay to be green? Resenha Bibliográfica. Revista de Administração Contemporânea, 16(1), 172-174. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v16n1/a11v16n1.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552012000100011

Leite, G. A., Filho (2008). Padrões de produtividade de autores em periódicos e congressos na área de contabilidade no Brasil: um estudo bibliométrico. Revista de Administração Contemporânea, 12(2), 533-554. doi: 10.1590/S1415-65552008000200011

Leonidou, C. N., & Leonidou, L. C. (2011). Research into environmental marketing/management: a bibliographic analysis. European Journal of Marketing, 45(1/2), 68-103. doi: 10.1108/03090561111095603

Lotka, A. J. (1926). The frequency distribution of scientific productivity. Journal of the Washington Academy of Sciences, 16(12), 317-323.

Lyra, M. G., Gomes, R. C., & Jacovine, L. A. G. (2009). O papel dos stakeholders na sustentabilidade da empresa: contribuições para construção de um modelo de análise [Edição Especial]. Revista de Administração Contemporânea, 13, 39-52. Recuperado em http://www.scielo.br/pdf/rac/v13nspe/a04v13nspe.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552009000500004

Machado-da-Silva, C. L., Guarido Filho, E. R., Rossoni, L., & Graeff, J. F. (2008). Periódicos brasileiros de administração: análise bibliométrica de impacto no triênio 2005-2007. RAC Eletrônica, 2(3), 351-373. Recuperado de http://www.anpad.org.br/periodicos/arq_pdf/a_821.pdf

Machado, M. R., Nascimento, A. R., & Múrcia, F. D-R. (2009, julho). Análise critica – epistemológica da produção científica em contabilidade social e ambiental no Brasil. Anais do Congresso USP Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 9.

Maimon, D. (1992). Empresa e meio ambiente. Tempo e Presença, 14(261), 49-51.

Maimon, D. (1994). Eco-estratégia nas empresas brasileiras: realidade ou discurso? Revista de Administração de Empresas, 34(4), 119-130.

Maimon, D. (1996). Passaporte verde: gestão ambiental e competitividade. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Melo, P. L. de R., & Andreassi, T. (2010). Publicação científica nacional e internacional sobre franchising: levantamento e análise do período 1998–2007. Revista de Administração Contemporânea, 14(2), 268-288. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n2/v14n2a06.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552010000200006

Moretti, S. L. A., & Campanário, M. de A. (2009). A produção intelectual brasileira em responsabilidade social empresarial – RSE sob a ótica da bibliometria [Edição Especial]. Revista de Administração Contemporânea, 13, 68-86. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v13nspe/a06v13nspe.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552009000500006

Nascimento, A. R. do, Junqueira, E., & Martins, G. de A. (2010). Pesquisa acadêmica em contabilidade gerencial no Brasil: análise e reflexões sobre teorias, metodologias e paradigmas. Revista de Administração Contemporânea, 14(6), 1113-1133. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v14n6/v14n6a08.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552010000700008

Nascimento, A. R. do, Santos, A. dos, Salotti, B., & Múrcia, F. D-R. (2009). Disclosure social e ambiental: análise das pesquisas científicas veiculadas em periódicos de língua inglesa. Revista Contabilidade Vista & Revista, 20(1), 15-40.

Nascimento, S. do, & Beuren, I. M. (2011). Redes sociais na produção científica dos programas de pós-graduação de ciências contábeis do Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 15(1), 47-66. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v15n1/v15n1a04.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552011000100004

Nederhof, A. J. (2006). Bibliometric monitoring of research performance in the social sciences and the humanities: a review. Scientometrics, 66(1), 81-100. doi: 10.1007/s11192-006-0007-2

Pato, C., Sá, L. M., & Catalão, V. L. (2009). Mapeamento de tendências na produção acadêmica sobre educação ambiental. Educação em Revista, 25(2), 213-233. doi: 10.1590/S0102-46982009000300011

Pereira, G. M. de C., Yen-Tsang, C., Manzini, R. B., & Almeida, N. V. (2011). Sustentabilidade socioambiental: um estudo bibliométrico da evolução do conceito na área de gestão de operações. Produção, 21(4), 610-619. doi: 10.1590/S0103-65132011005000053

Pritchard, C. (1998). Trends in economic evaluation [OHE Briefing nº 36], Office of Health Economics, London, UK. Recuperado de http://ohematerials.org/publication_pdfs/1998_Trends_in_Economic_Eval_Pritchard_.pdf

Rosa, F. S. da, & Ensslin, S. R. (2007, novembro). Tema “a gestão ambiental” em eventos científicos: um estudo exploratório nos eventos avaliados segundo critério Qualis da Capes. Anais do Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente, Curitiba, PR, Brasil, 9.

Sachs, I. (1986). Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice.

Sachs, I. (1993). Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel/Fundap.

Sampaio, C. H., & Perin, M. G. (2006). Pesquisa científica da área de marketing: uma revisão histórica (Documentos e Debates). Revista de Administração Contemporânea, 10(2), 179-202. doi: 10.1590/S1415-65552006000200010

Schubert, A., & Láng, I. (2005). The literature after math of the brundtland report ´ur common future´. A scientometric study based on citations in science and social science journals. Environment, Development and Sustainability, 7(1), 1-8. doi: 10.1007/s10668-003-0177-5

Sgarbi, V. S., Lima, M. T. A. de, Santos, C. de F. S. O., & Falcão, M. C. (2008, novembro). Os jargões da sustentabilidade: uma discussão a partir da produção científica nacional. Anais do Encontro Nacional de Gestão Empresarial e Meio Ambiente, Porto Alegre, RS, Brasil, 10.

Singleton, R. A., & Straits, B. C. (1999). Approaches to social research. New York: Oxford University Press.

Souza, M. T. S. de, Machado Júnior, C., Parisotto, I. R. dos S., & Silva, H. E. M. da. (2011, setembro). A pós-graduação stricto sensu em administração como elemento de formação de pesquisadores na área ambiental. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.

Subramanyam, K. (1983). Bibliometric studies of research collaboration: a review. Journal of Information Science, 6(1), 33-38. doi: 10.1177/016555158300600105

Teixeira, M. G. C., & Bessa, E. da S. (2009). Estratégias para compatibilizar desenvolvimento econômico e gestão ambiental numa atividade produtiva local [Edição Especial]. Revista de Administração Contemporânea, 13, 1-18. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rac/v13nspe/a02v13nspe.pdf. doi: 10.1590/S1415-65552009000500002

Testa, J. (1998). A base de dados ISI e seu processo de seleção de revistas. Ciência da Informação, 27(2), 233-235. doi: 10.1590/S0100-19651998000200022

Uehara, T. H. K., Otero, G. G. P., Martins, E. G. A., Philippi, A., Jr., & Mantovani, W. (2010). Pesquisas em gestão ambiental: análise de sua evolução na Universidade de São Paulo. Ambiente & Sociedade, 13(1), 165-185.

Urbizagastegui, R. (2009). Crescimento da literatura e dos autores sobre a Lei de Lotka. Ciência da Informação, 38(3), 111-129. doi: 10.1590/S0100-19652009000300008

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, 31(2), 152-162. doi: 10.1590/S0100-19652002000200016

Vanz, S. A. S. de, & Stumpf, I. R. C. (2010). Colaboração científica: revisão teórico -conceitual. Perspectivas em Ciência da Informação, 15(2), 42-55. doi: 10.1590/S1413-99362010000200004

Wezel, A., & Soldat, V. (2009). A quantitative and qualitative historical analysis of the scientific discipline of agroecology. International Journal of Agricultural Sustainability, 7(1), 3-18. doi: 10.3763/ijas.2009.0400

Yarime, M., Takeda, Y., & Kajikawa, Y. (2010). Towards institutional analysis of sustainability science: a quantitative examination of the patterns of research collaboration. Sustainability Science, 5(1), 115-125. doi: 10.1007/s11625-009-0090-4